Atacante Sassá pode ser titular do Cruzeiro, caso Raniel não tenha condições de atuar nesta quarta Fonte: Alexandre Guzanshe/E.M./D.A.Press

Pouco mais de um mês depois de ter sido derrotado pelo Racing por 4 a 2, em Avellaneda (ARG), o Cruzeiro volta a campo pela Copa Libertadores em busca de reação no Grupo 5. O Mineirão é palco do confronto nacional contra o Vasco, às 21h45 desta quarta-feira, pela segunda rodada. Será a 150ª partida da Raposa na competição e a 25ª vez que um clube brasileiro surge no caminho. O aproveitamento geral é favorável: 11 vitórias, seis empates e sete derrotas em 24 jogos. O time celeste marcou 35 gols e sofreu 30.

Coincidentemente, o Cruzeiro enfrentou times brasileiros na fase de grupos nos anos das duas conquistas continentais. Em 1976, o adversário foi o Internacional. Em 1997, o Grêmio. A equipe estrelada também mediu forças na competição com São Paulo, Palmeiras e o próprio Vasco.

Continua após a publicidade

Os embates contra o time cruz-maltino ocorreram em 1975 e 1998. Na fase de grupos da edição de 43 anos atrás, o Cruzeiro ganhou em Belo Horizonte por 3 a 2 e empatou no Rio de Janeiro por 1 a 1. Há duas décadas, o Vasco levou a melhor nas oitavas de final: venceu em casa por 2 a 1 e empatou sem gols fora.

Em 2018, os times chegam para o confronto em situações parecidas no torneio. Enquanto o Cruzeiro amargou o revés diante do Racing, o Vasco perdeu em São Januário para a Universidad de Chile por 1 a 0. Vale ressaltar que a equipe carioca encarou duas fases preliminares, superando Universidad Concepción, do Chile, e Jorge Wilstermann, da Bolívia.

Pressão

O Cruzeiro não está envolvido apenas no ambiente de Libertadores. A derrota por 3 a 1 para o Atlético, domingo passado, no Independência, pela primeira partida da final do Campeonato Mineiro, mexeu com os ânimos dos torcedores. Tanto que integrantes de uma torcida organizada estiveram nessa terça-feira na porta da Toca II, antes do último treinamento do grupo, para uma manifestação de incentivo aos atletas.

Os erros cometidos no clássico, principalmente no setor defensivo, devem levar o técnico Mano Menezes a efetuar mudanças. Uma das posições mais questionadas é a zaga, já que Leo e Murilo não conseguiram segurar o atacante atleticano Ricardo Oliveira na bola aérea. A solução pode ser Dedé, cuja principal virtude é o domínio em lances pelo alto. O camisa 26 também funcionaria como opção ofensiva em cobranças de falta e escanteio, pois mede 1,92m e é um dos melhores cabeceadores do futebol brasileiro.

Outra possível alteração é a entrada de Sassá no lugar de Raniel, que nessa terça-feira não teve condições de participar do treinamento com bola e ficou apenas em atividade interna na Toca. Se for mesmo escalado por Mano, o centroavante fará sua primeira partida como titular em 2018. Em 2017, Sassá marcou sete gols, sendo seis em jogos nos quais começou entre os 11 iniciais. Quem jogar terá a missão de suprir a lacuna deixada por Fred, afastado dos gramados pelos próximos seis meses em virtude de cirurgia no ligamento cruzado anterior do joelho direito.

Já o meia Arrascaeta, que é titular da Seleção Uruguaia e faz parceria com os astros Cavani, do PSG, e Suárez, do Barcelona, tentará recuperar tal condição no Cruzeiro. Contra o Atlético, o camisa 10 entrou no lugar de Rafinha, no intervalo, e fez o gol de honra cruzeirense no Horto.

“Temos que corrigir nossos erros. Não podemos levar tantos gols de bola parada. Sabemos que qualquer tipo de detalhe faz a diferença no jogo. Temos que estar muito espertos na quarta-feira e, logo depois, na final. Temos que trocar o chip, sabemos que temos que ganhar em casa, pontuar. O adversário perdeu também. Será um jogo que vai definir algumas coisas no grupo”, projetou Arrascaeta.

Adversário

Se o Cruzeiro vem de derrota, o Vasco chega a BH animado pela vitória por 3 a 2 sobre o Botafogo, no jogo de ida da final do Campeonato Carioca. “Temos que tirar proveito do momento, virar a chave para a Libertadores e jogar da melhor forma”, afirma o meia-atacante Paulinho, uma das maiores revelações vascaínas desde Philippe Coutinho, do Barcelona e da Seleção Brasileira. Ele voltará a ser titular depois de se recuperar de lesão muscular no quadril.

Outra novidade pode ser o lateral-esquerdo Henrique, que desfalcou o time nas últimas partidas por causa de contusão e disputará vaga com o contestado Fabrício, ex-Cruzeiro. No elenco vascaíno há mais jogadores conhecidos da torcida mineira: os zagueiros Erazo (ex-Atlético) e Paulão (ex-Cruzeiro), além do armador Wagner, que começou no América e atuou com a camisa celeste, e o atacante Riascos, que não deixou saudades nos cruzeirenses.

Empate benéfico

Na abertura da segunda rodada do Grupo 5, Universidad de Chile e Racing ficaram no empate por 1 a 1, nesta terça-feira, no Estádio Nacional, em Santiago. O resulitado foi um alento para cruzeirenses e vascaínos, já que impediu que uma equipe abrisse vantagem maior sobre os brasileiros na classificação. Em caso de triunfo no Mineirão, o time celeste permanecerá fora da zona de classificação para as oitavas de final, mas ficará mais perto dos argentinos e chilenos na briga pela liderança.

CRUZEIRO X VASCO

CRUZEIRO

Fábio; Lucas Romero, Leo, Murilo (Dedé) e Egídio; Henrique e Ariel Cabral; Robinho, Thiago Neves e Rafinha (Arrascaeta); Sassá

Técnico: Mano Menezes

VASCO

Martín Silva; Rafael Galhardo, Paulão, Erazo e Fabrício (Henrique); Desábato e Wellington; Yago Pikachu, Wagner e Paulinho; Riascos

Técnico: Zé Ricardo

Motivo: segunda rodada do Grupo 5 da Libertadores

Estádio: Mineirão

Data: quarta-feira, 4 de abril de 2018

Horário: 21h45

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Assistentes: Emerson de Carvalho e Marcelo Van Gasse (ambos de SP)

CRUZEIRO CONTRA BRASILEIROS

SÃO PAULO – 6 JOGOS (3 VITÓRIAS E 3 DERROTAS)

GRÊMIO – 6 JOGOS (3 VITÓRIAS, 1 EMPATE E DUAS DERROTAS)

VASCO – 4 JOGOS (1 VITÓRIA, 2 EMPATES E 1 DERROTA)

INTERNACIONAL – 4 JOGOS (3 VITÓRIAS E 1 DERROTA)

PALMEIRAS – 4 JOGOS (1 VITÓRIA, 2 EMPATES E 1 DERROTA)

TOTAL – 24 JOGOS (11 VITÓRIAS, 6 EMPATES E 7 DERROTAS)

CAMPANHAS DE CRUZEIRO E VASCO NA LIBERTADORES DE 2018

Cruzeiro:

Jogos: 1

Vitória: 0

Empate: 0

Derrota: 1

Gols marcados: 2

Gols sofridos: 4

Artilheiro (s): Arrascaeta e Robinho, 1 gol cada

Vasco:

Jogos: 5

Vitórias: 3

Empates: 0

Derrotas: 2

Gols marcados: 10

Gols sofridos: 5

Artilheiro: Yago Pikachu, com 3 gols

RETROSPECTO DE CRUZEIRO E VASCO NA HISTÓRIA DA LIBERTADORES

Cruzeiro:

Participações: 16ª

Jogos: 149

Vitórias: 86

Empates: 27

Derrotas: 36

Gols marcados: 280

Gols sofridos: 151

Artilheiro geral: Palhinha (20 gols)

Vasco:

Participações: 9ª

Jogos: 69

Vitórias: 29

Empates: 21

Derrotas: 19

Gols marcados: 91

Gols sofridos: 67

Artilheiro geral: Luizão (8 gols)

Superesportes


Comments are closed.