Jovens que estão internados no Centro Socioeducativo de Uberlândia (Ceseu) causaram um tumulto no local no final da manhã da última terça-feira, 3. A situação precisou da intervenção de equipes da Polícia Militar (PM).

Os adolescentes aproveitaram que o lugar estava com um baixo número de agentes, que deflagraram greve no dia anterior, para chamar a atenção e também pedir melhorias para o Ceseu. Houve alguns momentos de tensão com a polícia e até mesmo entre os próprios internos.

Continua após a publicidade

A situação se tornou motivo de preocupação de alguns pais, que foram até o local para visitar os internos. Alguns aproveitaram a situação e reclamaram da suspensão do serviço, por tempo indeterminado, por conta da greve.

Toda a ação foi acompanhada pelo promotor da Vara da Infância e da Juventude, Jadir Cirqueira, que foi até o local pessoalmente para participar das negociações. A situação foi controlada pela PM no meio da tarde.

O promotor garantiu que a integridade física dos internos foi preservada durante a ação e que agora, o trabalho é prevenir que ações semelhantes se repitam no Ceseu durante o período de greve dos funcionários.

“Vamos trabalhar essa semana, exatamente, pra isso. Já preparar as equipes, as instituições, pra que se essa greve continuar, nós não tenhamos prejudicado o direito dos pais de ter contato com seus filhos. Nossa ideia é que nenhum direito dos adolescentes e família sejam prejudicados por conta da greve dos agentes socioeducativos”, disse Cirqueira.

Informações: Carlos Vilela


Comments are closed.