Os demais presos da Operação Poseidon ganharam liberdade na última quarta-feira, 4, graças a um habeas corpus expedido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Eles são acusados de cometer irregularidades em contratos firmados entre o Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE) e a empresa Araguaia Engenharia.

Desta forma, o ex-diretor-técnico do DMAE, Carlos Henrique Lamounier Borges; o ex-diretor geral da autarquia, Epaminondas Honorato Mendes; o ex-servidor do departamento, Manoel Calhau Neto, e o engenheiro João Paulo Voss poderão aguardar o restante do processo em liberdade.

Continua após a publicidade

Rodrigo Ribeiro, advogado de defesa dos suspeitos, divulgou um vídeo, no qual explicava que a 4ª Câmara Criminal do TJMG reconheceu que não havia a necessidade de manter os envolvidos presos e optou por conceder o habeas corpus em favor do grupo.

Na última semana, o TJMG também já havia expedido um habeas corpus em favor de David Thomaz Neto, ex-diretor adjunto do DMAE e ex-vereador, e de Daniel Vasconcelos Teodoro, presidente da Araguaia Engenharia na época em que as irregularidades foram cometidas.

Relembre as prisões

Na primeira fase da Operação Poseidon, deflagrada no dia 19 de fevereiro pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), Manoel Calhau Neto, Daniel Vasconcelos Teodoro e João Paulo Voss foram presos.

Já na segunda, cumprida no dia 28 do mesmo mês, a operação prendeu David Thomaz Neto, Carlos Henrique Lamounier Borges e Epaminondas Honorato Mendes.

Os acusados respondem pelos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro.

Saiba Mais

GAECO deflagra Operação Poseidon, que investiga irregularidades entre DMAE e empresa de engenharia

Dois diretores do DMAE são presos na 2ª fase da Operação Poseidon

Ex-diretor do Dmae, David Thomaz, e presidente da Araguaia Engenharia ganham liberdade

Informações: Carlos Vilela


Comments are closed.