O concurso da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) para profissionais do setor, com quase 17 mil vagas disponibilizadas, teve atraso superior a 1h e gerou revolta nos participantes. O concurso foi realizado em várias cidades do estado neste domingo (8).

“Provas começando em horários diferentes, candidatos com celular, provas faltando, provas xerocadas, envelopes que chegaram nas salas abertos”, disse uma pessoa que preferiu não se identificar.

A Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc), empresa contratada para realizar o concurso, disse, em nota, que o concurso enfrentou um problema de logística, o que causou o prolongamento do horário de início das provas em 60 minutos.

Continua após a publicidade

Segundo a empresa, o material que seria destinado a quatro escolas de Belo Horizonte, foi embarcado em um veículo da Fumarc com uma rota de distribuição errônea.

O início do concurso, em todas as regiões, ocorreu quando as quatro escolas receberam o material de apoio para garantir aos candidatos as mesmas condições na realização das provas, explicou a Fumarc.

A SEE-MG informou que também tomou conhecimento de denúncias que circulavam em redes sociais quanto ao uso de celulares em ambiente de provas, além de fotos de supostas provas.

A Fumarc informou que está apurando todos os fatos envolvendo o concurso.

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) disse que irá solicitar ao Governo do Estado que preste explicações, investigue as práticas relatadas e que as pessoas que fizeram inscrição para o concurso não fiquem prejudicadas.


Comments are closed.