Três pessoas foram encontradas mortas carbonizadas e com marcas de tiros em uma casa localizada na rua Eli Pinheiro, no bairro Pindorama, na região Noroeste de Belo Horizonte, na manhã deste sábado (21). As vítimas são uma menina, de 7 anos, um adolescente, de 15, e a mãe deles, de 37. 

Inicialmente, acreditava-se que os três teriam sido vítimas do incêndio. Ao entrarem na casa, entretanto, membros do Corpo de Bombeiros encontraram no segundo andar da casa de três cômodos a criança com um tiro no tórtax; a mulher, com dois tiros no tórax, e o adolescente com um tiro na cabeça e outro no tórax. Os três corpos estavam em uma cama,.

Os bombeiros chegaram ao local depois de terem sido acionados às 7h50, com um chamada de incêndio em residência. Ao chegarem ao local, se depararam com um colchão pegando fogo, que se alastrou pelo quarto aonde estavam as vítimas.

Continua após a publicidade

Motivação. Uma parente da família, que pediu para não ser identificada, afirmou ter certeza de que autor do crime é o atual companheiro da proprietária da casa, que segundo a polícia também pode estar entre os mortos. “Parece que eles estavam separando. Todo mundo sabe que foi ele. Se ele tinha alguma coisa para resolver, que resolvesse com ela. Não precisava matar as duas crianças, não. Isso é um absurdo. Foi ele que fez isso. Todo mundo sabe”, afirmou. A polícia informou que está à procura do suspeito.

Ex-companheiro da mulher e pai do adolescente carbonizados, o sapateiro Adriano Alves da Silva, de 43 anos, informou que não faz ideia da motivação do crime. “Estive com meu filho ontem por volta das 13h, e agora encontro ele carbonizado”, disse.

Alves informou também que pedia constantemente ao filho para que não frequentasse bailes funk. “Ele era muito bacana, mas começou a andar de madrugada”, falou.

Informações preliminares indicam que o incêndio pode ter sido criminoso, mas a Polícia Civil ainda investigará o caso.

Estão no local Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Civil.

Atualizada às 11h20

 


Comments are closed.