A cultura árabe tomou conta de um pedacinho da Savassi, região Centro-Sul de Belo Horizonte, neste sábado (21). O festival de comida e cultura sírio-libanesa levou comidas típicas, danças e músicas para o quarteirão da rua Santa Rita Durão, entre as ruas Alagoas e Pernambuco. 

Nas dezenas de barracas gastronômicas era possível encontrar esfirras, quibes kafta, mas também comidas árabes menos conhecidas, como o shawarma, que é carne de  cordeiro ou de frango assada em um espeto vertical, que servem de recheio em pão árabe. 

Além da comida, apresentações de música e danças sírio-libanesas animavam quem passava pelo festival. Desde sua fundação, Belo Horizonte recebeu uma grande quantidade imigrantes sírio-libaneses. Agora, com a guerra na Síria, a capital tem recebido uma nova onda de chegada de sírios, dessa vez como refugiados de guerra. 

Continua após a publicidade

Os sírios Yazan Elias, 24, e Jorge Ghattas, 23,  chegaram ao Brasil há três anos fugindo da guerra. Eles afirmam que foram bem recebidos no Brasil, mas o sonho é conseguir voltar ao seu país em paz. “Conseguimos refazer nossa vida no Brasil. Fomos muito bem recebidos, conseguimos emprego. A situação na Síria estava muito complicada. Mas o meu sonho é voltar ao meu país do jeito que estava antes da guerra”, contou Ghattas. 

Elias contou que se não fosse a guerra não teria saído da síria e comemorou poder matar um pouco da saudade no festival. “Da pra matar a saudade da música, da dança, da música. É muito bom ter contato com a nossa cultura. Ajuda um pouco na saudade. Mas o ideal era conseguir voltar ao nosso país como era antes”, reforçou. 

O festival acontece até às 18h de sábado. 


Comments are closed.