Presidente Wagner Pires de Sá e o superintendente da Caixa, Jânio Antunes, assinam contrato Fonte: Divulgação/Cruzeiro

O Cruzeiro acertou renovação de patrocínio com a Caixa por mais um ano. O anuncio foi feito pelo clube celeste em sua página na internet. O acordo foi assinado pelo presidente da Raposa, Wagner Pires de Sá, e pelo superintendente regional do banco, Jânio Antunes.

O Cruzeiro vai receber da Caixa o mesmo valor fixo que o arquirrival Atlético (R$ 10 milhões). Contudo, o bônus da Raposa em caso de título é maior, já que disputa a Copa Libertadores e pode jogar o Mundial de Clubes. Se conquistar os grandes torneios (os dois citados anteriormente, além da Copa do Brasil e do Brasileiro), a Raposa pode receber R$ 16,8 milhões.

“Hoje (terça-feira) é um dia muito especial para nós. Formalizamos a renovação com a Caixa Econômica Federal, que é a maior instituição financeira do país. É de uma relevância enorme o apoio da empresa aos clubes e aos projetos culturais e educacionais. É um prazer imenso ter a Caixa como nossa companheira”, afirmou o presidente celeste, Wagner Pires de Sá.

Continua após a publicidade

“Estamos indo para o terceiro ano de parceria com o clube. O Cruzeiro é uma das marcas mais importantes do futebol, é conhecido no planeta inteiro e ajuda a levar a marca da Caixa até onde ela ainda não tinha chegado. A Caixa tem se internacionalizado cada vez mais e temos a certeza de que com o Cruzeiro a gente continuará atingindo um público apaixonado, que segue o Cruzeiro e que seguirá também a Caixa”, disse o superintendente regional da Caixa, Jânio Antunes.

Em 2017, o patrocínio da Caixa rendeu aos cofres do Cruzeiro R$ 11 milhões fixos. O clube ainda teve direito a bônus de R$ 500 mil por causa do título da Copa do Brasil, totalizando R$ 11,5 milhões na temporada passada.

A Caixa está diminuindo os recursos investidos no futebol. Na negociação com Atlético e Cruzeiro, o banco preferiu a exposição da marca apenas na parte frontal da camisa, excluindo a propaganda que ficava nas costas.

Por isso, o contrato fixo caiu em R$ 1 milhão. Assim, Atlético e Cruzeiro poderão ir ao mercado em busca de novos investidores para tentar encher os cofres.

Superesportes


Comments are closed.