As Polícias Civil e Militar, representantes das empresas que prestam o serviço de transporte público em Uberlândia e funcionários da prefeitura se reuniram no final da manhã desta terça-feira, 24, para discutir os recentes ataques a ônibus registrados na cidade.

O encontro aconteceu na sede 9ª Região Integrada de Segurança Pública (RISP), no Bairro Jardim Patrícia. Em entrevista para o Chumbo Grosso 2ª Edição desta terça-feira, o Major Rodrigo Brasil, assessor de imprensa da PM, disse que a reunião definiu a centralização de informações sobre os ataques para auxiliar as investigações.

Continua após a publicidade

Além disso, o major explicou que as empresas também definiram medidas para tentar coibir futuros ataques. “Dentre as estratégias, estabeleceu-se que as empresas de ônibus vão instalar botões de pânico pra que os motoristas ou outra pessoa que esteja dentro do ônibus possam acionar (o botão) em qualquer caso de anormalidade”, explicou.

Outras medidas a serem adotadas serão levar a central de monitoramento dos ônibus até a sede da Central de Operação Policiais Militares (COPOM), para que a PM seja acionada rapidamente sem a necessidade de ligação, além de um reforço no patrulhamento em áreas de risco e horários críticos.

A Polícia Civil também definiu a criação de um grupo para conseguir centralizar todas as informações a respeito dos ataques.

Ainda segundo o Major Rodrigo Brasil, a PM e as empresas de transporte público devem passar orientações de seguranças para os motoristas, além de ensiná-los a maneira correta de utilizar o botão de pânico.

Informações: Carlos Vilela


Comments are closed.