Pacientes em tratamento e acompanhantes têm vivido momentos de desgaste nas viagens feitas entre as cidades de Ituiutaba e Barretos, no estado de São Paulo, não apenas pela distância entre os municípios que é de aproximadamente 365 quilômetros. Na última semana, na quinta-feira, 19, o Pontal em Foco recebeu denúncia de usuários do serviço que relataram situação de superlotação no ônibus que realiza o transporte.

Colchonetes foram improvisados para transporte de pacientes no corredor

Na ocasião relatada, o veículo saiu de Ituiutaba por volta de 3h30, sendo que a informação é de que essa não é a primeira vez que a viagem ocorre com maior número de passageiros do que comporta o ônibus. Uma das passageiras afirmou que a coordenadora de uma casa de apoio em Barretos questionou o motorista a respeito da situação, sendo que o mesmo alegou ser pior deixar pessoas para trás, principalmente, porque a viagem ocorre durante a madrugada.

Ainda segundo informações, os usuários entraram em contato na secretaria responsável pela marcação das passagens para relatar os fatos, contudo foram coibidos pelos funcionários, que alegaram que a situação é inverídica.

Continua após a publicidade

Na referida viagem, duas mulheres precisaram fazer o trajeto deitadas em colchonetes improvisados no corredor do veículo em função de todos os lugares estarem ocupados. “É uma situação constrangedora e desumana, todos que ali estão vão em busca de tratamento. Há cinco anos esse ônibus ia apenas três vezes por semana para Barretos, hoje as viagens são feitas todos os dias e com o veículo lotado, de tamanho o número de pacientes. O mínimo de dignidade precisar ser oferecido a nós”, disse uma das pacientes.

Nossa equipe buscou respostas sobre o caso, e apurou que o setor responsável na Prefeitura de Ituiutaba é o de Tratamento Fora do Domicílio – TFD, onde é feita uma planinha que relaciona o nome de todos os pacientes e acompanhantes, sendo a mesma encaminhada à empresa responsável pelo transporte, que por sua vez, destina o ônibus que deverá ser utilizado.

Ainda conforme apurado, o contrato entre a prefeitura e a empresa terceirizada é para ônibus de 46 lugares. Entretanto, quando ocorre de exceder o número, a própria empresa toma a providência de destinar um ônibus maior, com até 50 lugares, para realizar o transporte, o que não teria acontecido no dia da referida viagem. A planilha teria sido encaminhada dentro do prazo combinado, por volta das 17h do dia anterior, e quando o motorista chegou na rodoviária e percebeu que haviam mais passageiros do que o ônibus comportava, deveria ter tomado a providência de solicitar um outro carro que comportasse a demanda. A planilha encaminhada pela secretaria à empresa constava com 49 passageiros, entre pacientes e acompanhantes.

Nossa equipe tentou contato com o TDF em Ituiutaba em busca de mais detalhes sobre o caso, porém as ligações não foram atendidas.


Comments are closed.