Um homem foi morto e quatro ficaram feridos a tiros na madrugada deste sábado (28), na altura do número 23 da avenida Silva Lobo, no bairro Calafate, na região Oeste de Belo Horizonte.

As vítimas retornavam de um baile funk no bairro Cabana, na mesma região, e quando chegavam em casa, na aglomerado Bimbarra, que fica na Silva Lobo com avenida Tereza Cristina, foram interceptados por uma moto branca com dois ocupantes, debaixo do pontilhão do metrô.

O homem que estava na garupa disparou vários tiros na direção das vítimas.Rodrigo Servelino Barbosa, de 27 anos, morreu no local. Ele foi atingido com três tiros no ombro direito e um no pescoço, segundo a perícia. O corpo dele foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).

Continua após a publicidade

Os feridos são, Diego Henrique Andrade dos Santos, de 22, que foi baleado na panturrilha esquerda; Flávio Martins de Souza, 39,atingido na cabeça; Ramon Poggione, 44, ferido no abdome e no tórax; e Ismael Marcone da Silva, 32, que levou dois tiros, no abdome e nas costas.

Os feridos foram levados para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS) e para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Oeste. Ramon disse à PM que não conseguiu anotar a placa da moto. Segundo ele, os autores do crime fugiram na direção do bairro Nova Suíça.

O boletim de ocorrência foi registrada na Central de Flagrantes 3, do Barreiro, e a Polícia Civil vai investigar a autoria e a motivação do homicídio e das quatro tentativas de homicídio.

Tiroteio 

A PM foi acionada por volta das três e quarenta da madrugada. por uma pessoa que dizia ter escutado vários disparos de tiros. Ainda de acordo com a testemunha, duas pessoas estavam feridas. A PM foi ao local e encontrou um homem morto e quatro feridos, um deles, o Flávio, em estado grave, com perfurações na cabeça. Pela manhã, pedestres se assustaram com as poças de sangue no asfalto.

Baile funk 

A operadora de caixa Angélica Gomes, de 25, é ex-mulher de Diego. Ela conta que ninguém sabe o motivo do crime. “Recebi uma mensagem de uma amiga avisando que Flávio, amigo nosso, levou um tiro na cabeça, e que o Diego, pai do meu filho, um tiro na perna.

Um rapaz que tinha o apelido de Piolho, irmão da Lurdinha, amiga nossa, tinha sido morto a tiros. Eles estavam vindo de um baile funk no Cabana e veio uma moto e cercou eles o homem da garupa começou a atirar”, contou Angélica.

Segundo ela, as vítimas tinham o costume de ir juntos ao baile funk, toda sexta-feira e sábado. “Eu não suspeito de nada, pois eles não mexem com nada, não têm envolvimento com drogas. Deve ser coisa de gente ruim, mesmo. Eles voltaram de ônibus, como sempre, e foram cercados quase na porta de casa”, contou a mulher.

O motorista Wellington Messias Castilho Júnior, 33, atual companheiro da operadora de caixa, contou que antes do baile funk as vítimas foram a um rodízio de pizza no Shopping Del Rei, onde trabalha o filho de Flávio.

“Eles até me chamaram até para ir a esse rodízio, mas eu não fui. Parece que de lá eles foram para o baile funk no bairro Cabana. Não sei o que aconteceu. O único envolvimento que esses caras têm, que costumam fazer, é mexer com mulher. Vai saber o que é! De repente, foi por causa disso. Fora isso aí, não acredito que seja outra coisa. Eles não têm guerra com ninguém, não têm briga, não têm envolvimento com nada. São da paz”, disse Wellington.

No aglomerado, prevaleceu o silêncio entre os moradores. “Aqui, a gente tem que ser cega, surda e muda”, disse uma mulher. “Acordei com os tiros, muitos tiros. Achei que era um sonho, mas na verdade era um pesadelo. Depois, não consegui dormir mais. Minhas pernas começaram a tremer”, contou a moradora.


Comments are closed.