A prefeitura de Belo Horizonte ofereceu um reajuste que pode chegar a 20% aos profissionais das Unidades Municipais de Educaçâo Infantil (UMEIs). 

A proposta foi apresentada em uma reunião com representantes do Sind-Rede na tarde desta quarta-feira. A reunião, realizada a portas fechadas, durou aproximadamente duas horas e contou com a presença do prefeito Alexandre Kalil.

A proposta feita pela prefeitura garante reajuste que pode chegar a até 20% do salário dos profissionais. Para entrar em vigor, o reajuste precisa ser enviado e aprovado pela Câmara de Vereadores.

Continua após a publicidade

O secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão da prefeitura da capital, André Reis, informou que a nova proposta terá um impacto de R$ 15 milhões nos cofres da prefeitura.

Além do reajuste salarial, a prefeitura propôs também um realocamento de quatro níveis na carreira dos profissionais da educação básica que tenham concluído o curso superior. Atualmente, o realocamento previsto por lei é de dois níveis.

Os profissionais da educação vão realizar uma assembleia na praça da Estação nesta quinta-feira, a partir de 14h30, para decidir se terminam com a greve que começou na última segunda-feira.

De acordo com o Sind-Rede, 80% dos cerca de 6 mil profissionais aderiram à greve. No entanto, a prefeitura afirmou que 80% das UMEIs funcionaram total ou parcialmente nesta quarta.

Os profissionais em greve pedem equiparação salarial e de nível de carreira aos professores do ensino fundamental. De acordo com o Sind-Rede um professor do ensino básico recebe R$ 1.451,00 mensais por 22,5 horas semanais de trabalho. Já os professores do ensino fundamental tem rendimentos de R$ 2.200,00 por mês pela mesma carga horária.


Comments are closed.