Thiago Neves e Sassá foram decisivos para vitória do Cruzeiro sobre o Vasco, em São Januário Fonte: AFP/Mauro Pimentel

Com futebol eficiente e precisão nos chutes, o Cruzeiro deu grande passo rumo à classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores ao golear o Vasco por 4 a 0 na noite desta quarta-feira, em São Januário, no Rio de Janeiro, pela quinta rodada do Grupo 5. O lateral-esquerdo Egídio teve grande participação na partida, pois foi o responsável por dar assistências a Leo (em posição de impedimento), Thiago Neves e Sassá, autores dos gols cruzeirenses na etapa inicial. No segundo tempo, Sassá se aproveitou de falha do zagueiro Werley e fechou a conta. Esse lance fez com que Eurico Miranda, ex-presidente vascaíno, deixasse as dependências do estádio sob vaias do público.

Em virtude do placar elástico, houve confusão nas arquibancadas do São Januário ainda no primeiro tempo, e a Polícia Militar usou gás de pimenta na tentativa de conter os ânimos dos vascaínos mais exaltados. Por causa disso, até mesmo quem não estava envolvido na desordem acabou prejudicado ao inalar o composto químico. O árbitro Anderson Daronco paralisou o jogo por seis minutos.

Continua após a publicidade

No lado da torcida celeste, muita festa por causa do ótimo resultado fora de casa. Com a goleada no Rio de Janeiro, o Cruzeiro chegou a oito pontos, com nove gols de saldo, e assumiu de maneira provisória a liderança do Grupo 5. Nesta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), o Racing poderá retomar a ponta se empatar ou vencer a Universidad de Chile, no El Cilindro, em Avellaneda, na Argentina. Já o Vasco, eliminado da Libertadores, terá de torcer por tropeço chileno para manter as chances de ser o terceiro colocado e conseguir ir à segunda fase da Copa Sul-Americana.

O Cruzeiro voltará a campo pela Copa Libertadores no dia 22 de maio (terça-feira), às 21h30, contra o Racing, no Mineirão. Independentemente do que acontecer no complemento da quinta rodada, mineiros e argentinos vão brigar pela liderança em Belo Horizonte. No mesmo dia e horário, o Vasco encerrará sua participação no Grupo 5 contra La U, no Estádio Nacional, em Santiago, no Chile.

Antes disso, tanto a equipe celeste quanto o time cruz-maltino voltam a pensar no Campeonato Brasileiro. Na 18ª posição, com apenas um ponto (um empate e duas derrotas), o Cruzeiro receberá o Botafogo no domingo, às 16h, no Mineirão. O Vasco, que tem uma partida a menos e ainda está invicto (um triunfo e um empate), pegará o América no sábado, às 19h, em São Januário. A equipe do técnico Zé Ricardo está na nona posição, com quatro pontos.

O jogo

De última hora, Vasco e Cruzeiro perderam dois jogadores importantes. O time da casa não pôde contar com Wagner, vetado em decorrência de uma virose. Já a Raposa perdeu Edilson, com trauma no tornozelo esquerdo sofrido na goleada por 7 a 0 sobre a Universidad de Chile, quinta-feira passada, no Mineirão. Os respectivos substitutos foram Evander e Lucas Romero.

Logo no primeiro minuto, o Vasco chegou com perigo na área cruzeirense, mas Thiago Galhardo chutou fraco, nas mãos do goleiro Fábio. O time celeste, por sua vez, aproveitou a primeira chance clara que teve. Em cruzamento de Egídio, Leo se antecipou a Paulão e tocou com a ponta da chuteira na bola, que entrou no canto direito: 1 a 0. Na jogada, o camisa 3 se encontrava em posição de impedimento, e os vascaínos questionaram o árbitro Anderson Daronco, mas o lance foi validado.

Não demorou muito para o Cruzeiro ampliar o placar. Aos 24min, Egídio tabelou com Arrascaeta, avançou à linha de fundo e passou rasteiro para Thiago Neves, que bateu de canhota no canto direito e fez 2 a 0. No 17º confronto contra o Vasco, TN30 registrou seu oitavo gol, sendo o segundo a serviço da equipe mineira.

Aos 32min, Egídio apareceu novamente no apoio e tocou em direção a Sassá. De fora da área, o camisa 23 resolveu arriscar e encobriu Martín Silva, fazendo um bonito gol em São Januário: 3 a 0. A consequência do massacre do Cruzeiro no Rio de Janeiro foi uma confusão entre torcedores do Vasco nas arquibancadas do São Januário. Os mais exaltados brigaram entre si, e a Polícia Militar interveio com spray de pimenta, atingindo também quem não tinha envolvimento no entrevero.

Sem ter muito o que fazer na etapa complementar, o Vasco se lançou ao ataque no começo do segundo tempo e até criou chances importantes. Fábio defendeu os chutes de Andrés Ríos, aos 2min, e Henrique, em cobrança de falta, aos 4min. Aos 5min, Riascos se livrou da marcação e tentou o cruzamento, acertando o travessão. Mas bastou um descuido da equipe da casa para o Cruzeiro aumentar a goleada. Ao tentar cortar lançamento de Arrascaeta, Werley perdeu na dividida para Sassá, que limpou o lance para o meio da área e chutou no canto de Martín Silva: 4 a 0. Foi o quarto gol do atacante em duas partidas pelo torneio continental.

A partir dali, o Cruzeiro administrou o resultado. Mano Menezes aproveitou para dar descanso a Thiago Neves, Henrique e Sassá. Ele colocou em campo Mancuello, Bruno Silva e Raniel. Os quatro tentos contabilizados em São Januário deixaram a Raposa com 13 gols, o ataque mais positivo da fase de grupos da Libertadores.

VASCO 0X4 CRUZEIRO

VASCO

Martín Silva; Yago Pikachu, Paulão, Werley e Henrique; Bruno Silva, Wellington, Evander (Riascos, aos 27min do 1ºT) e Thiago Galhardo (Kelvin, aos 36min do 2ºT); Rildo (Paulo Vitor, aos 17min do 2ºT) e Andrés Rios

Técnico: Zé Ricardo

CRUZEIRO

Fábio; Lucas Romero, Dedé, Leo e Egídio; Henrique (Bruno Silva, aos 35min do 2ºT) e Lucas Silva; Rafinha, Thiago Neves (Mancuello, aos 20min do 2ºT) e De Arrascaeta; Sassá (Raniel, aos 38min do 2ºT)

Técnico: Mano Menezes

Gols: Leo, aos 9min, Thiago Neves, aos 24min, Sassá, aos 32min do 1ºT e aos 9min do 2ºT (CRU)

Cartões amarelos: Henrique, aos 12min do 2ºT (VAS); Henrique, aos 6min do 2ºT (CRU)

Pagantes: 12.624

Presentes: 12.973

Renda: R$ 657.278,35

Motivo: 5ª rodada do Grupo 5 da Libertadores

Estádio: São Januário, no Rio de Janeiro

Data: quarta-feira, 2 de maio de 2018

Árbitro: Anderson Daronco (RS)

Assistentes: Danilo Manis e Bruno Pires (RS)

Superesportes


Comments are closed.