Por unanimidade, os professores da rede particular de ensino decidiram encerrar a greve da categoria que já durava 10 dias.

Os professores decidiram aceitar a proposta feita pelo Sindicato das Escolas particulares de Minas Gerais que ofereceu um reajuste salarial  de 1,56%. Além do aumento salarial, a proposta também garante a manutenção das homologações feitas nos sindicatos das demissões dos professores com pelo menos dois anos de contrato e a validação e convenção de classe por cada um ano.

No acordo firmado na tarde desta sexta-feira, ficou acertado que os dias letivos em que não houve funcionamento das unidades educacionais serão repostos e que os professores não terão descontados os dias de salário em que aderiram à greve.
Aproximadamente mil professores da rede particular de ensino participaram  da assembleia que decidiu pelo fim da greve da categoria.

Continua após a publicidade

Os professores permanceram de braços cruzados desde o dia  25 de abril.

De acordo Sindicato dos professores de Minas Gerais (Sinpro-MG), um total de 65 unidades de ensino de Belo Horizonte e região metropolitana estavam paradas parcial ou totalmente até está quinta-feira atingindo aproximadamente 100 mil alunos.


Comments are closed.