Os corpos do jornalista Ronaldo Lenoir e do diretor do portal Bhaz Pedro Guadalupe foram enterrados nesse sábado. Eles foram vítimas de um grave acidente na BR-381 na noite da última quinta-feira. O corpo de Lenoir foi velado durante toda a madrugada no Sindicato dos Jornalistas, e foi enterrado no cemitério do Bonfim. Já o velório de Guadalupe foi na manhã desse sábado, no cemitério Bosque da Esperança. Nos dois locais, amigos e familiares estavam muito emocionados. O editor do portal BHaz, Marcelo Freitas, contou que eles estavam voltando de Ipatinga, na região do Vale do Aço, onde tinham ido à trabalho. “Eles tinham ido discutir uma proposta de uma campanha eleitoral em Ipatinga, porque a cidade vai ter eleições extemporâneas”, explicou.

No velório, Marcelo declarou a admiração pelos amigos e não poupou elogios. “Tanto o Pedro quanto o Ronaldo eram pessoas de muito reconhecimento. O Lenoir, que estava na prossifão há décadas, é uma pessoa muito querida, um profissional de alto gabarito e que tinha um reconhecimento de todos nós. Pedro também tinha o recolhimento pela inventividade pela capacidade de lidar com as mídias digitais, que o tornaram um profissional singular nessa área. Os dois eram pessoas muito queridas, um complementava o outro”, disse.

Muito emocionada, uma das filhas de Lenoir, Carolina Lenoir, disse que sabia que o pai era uma pessoa querida, mas não imaginava que a repercussão seria tão grande. “A gente já imaginava que meu pai era muito querido, mas a dimensão do apoio é muito maior do que a gente poderia prever. Estamos muito gratos por isso, porque é o que está nos ajudando a ficar de pé”, contou. 

Continua após a publicidade

Carolina declarou que a família e os amigos de Lenoir continuarão se espelhando nos exemplos deixados por ele. “Eu acho que isso tudo representa muito do que meu pai era. Ele sempre fez questão de manter nas relações a ética, a honestidade, a generosidade. Por sentimos tanta falta disso hoje em dia, eu acho que essa onda de carinho e afeto que estamos recebendo é um reconhecimento de que pessoas como ele fazem falta e já estão sentindo saudade. Nós só podemos agradecer esse apoio e dizer que vamos fazer o máximo para continuar com esse legado dele”, declarou. 

A esposa de Guadalupe, Renata Alencar, disse que, além da saudade, o empresário deixa várias realizações e exemplos. “Além das várias realizações dele, eu acho que a principal era o BHaz, que era a menina dos olhos para ele. Fica essa energia da inteligência criativa que ele tinha, essa vivacidade para fazer, para realizar, para acontecer, essa vibração pelo trabalho e pelos projetos que ele se envolvia. Fica essa vibração, essa energia, essa explosão criativa que era o Pedro”, declarou.

Renata se emocionou ao dizer o sobre as manifestações de carinho que ela e toda a família tem recebido. “O Pedro era uma pessoa muito singular, de um jeito próprio e, eu acho que de certa forma, todo mundo que está aqui, que mandou mensagem, que deu um abraço, de certa forma compõe essa rede de amigos e de pessoas que tinham o Pedro como alguém querido. Eu vejo que não para de chegar carinhos em palavras, em flores e em abraços e isso conforta muito o coração”, disse. 

Guadalupe era casado e deixa três filhos. Ele é filho do professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Jacyntho Lins Brandão.

Lenoir também era casado e deixa duas filhas. Ele foi editor de política do jornal Estado de Minas e trabalhou no Governo de Minas Gerais.

Atualizado às 14h33


Comments are closed.