A Polícia Militar prendeu, na noite deste domingo (6), a irmã de um dos maiores traficante de Minas Gerais, o Roni Peixoto. A mulher, de 44 anos, foi presa no bairro Floramar na região Norte de Belo Horizonte, na sua casa. Ela e suspeita de tráfico de drogas e já tinha sido presa outras vezes por diversos crimes.

De acordo com a polícia, os militares chegaram até a mulher após denúncia anônima que estava ocorrendo tráfico de drogas na casa. Ao chegar à residência, a polícia encontrou um homem de 44 anos que ao perceber a presença dos policiais trancou o portão da casa.

Ele estava com três pedras de crack e disse que cada uma delas custaram R$ 15. O suspeito disse que há cerca de 15 dias estava em um bar com um amigo e ficou sabendo que a mulher vendia drogas. Esse amigo teria pedido para que ele fosse no local buscar a droga. O homem também foi detido.

Continua após a publicidade

Mulher jogou a droga no vaso

Quando os militares entraram na casa a irmã de Peixoto alegou que estava tomando banho. No entanto, os militares ouviram ela dando descarga por várias vezes, como se estivesse jogando a droga fora. Os policiais insistiram para que ela abrisse a porta, mas a suspeita resistiu.

Depois de um tempo, a mulher abriu a porta e nenhuma droga foi encontrada com ela. No entanto a suspeita estava muito agressiva e, aparentemente, sob efeitos de drogas.

Ela foi levada para Central de Flagrantes da Polícia Civil (Ceflan) II. Segundo a Polícia Civil foi ratificado o flagrante por tráfico de drogas e a mulher foi encaminhada para o presídio femininino José Abranches Gonçalves, em Ribeirão das Neves.

Histórico familiar

Outros familiares de Roni Peixoto já foram presos  por tráfico de drogas. Em setembro de 2015 dois sobrinhos do megatraficante foram detidos. Já em 2012,  a filha de Peixoto de 24 anos foi presa também por tráfico de drogas.

Outro irmão do traficante também foi preso, apontado pela Polícia Civil como parceiro de crime de Fernandinho Beira-Mar. Em 2016  uma outroa irmã de Peixoto também foi presa pela Polícia Civil, no centro de Belo Horizonte  com cerca de um quilo de crack na Praça Rio Branco, em frente ao prédio da 1ª Região de Integrada de Segurança Pública (Risp).

Histórico do traficante

Roni Peixoto atuava com traficante em toda a região metropolitana de Belo Horizonte e tinha como base o Aglomerado da Pedreira Prado Lopes, na região Noroeste. Ele também foi acusado por homicídio, posse e porte ilegal de arma de fogo e formação de quadrilha.

O homem é considerado um dos líderes da facção criminosa Comando Vermelho e braço direito de Fernandinho Beira-Mar. Peixoto chegou a encabeçar a lista do criminosos mais procurados de Minas Gerais.

 


Comments are closed.