Professores da rede municipal de ensino estarão reunidos na Praça da Estação, no Centro de Belo Horizonte, a partir das 8h da manhã desta quarta-feira para analisar os rumos da greve. Os servidores da educação infantil já estão parados desde o dia 23 de abril e os profissionais do ensino fundamental irão definir em assembleia se irão aderir ou não à greve. A previsão é de que não haverá aula para os alunos de escolas da rede municipal.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal (Sind-Rede) Wanderson Rocha, em negociação nesta terça-feira, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH)manteve a postura de apresentar um novo índice referente ao reajuste salarial somente em agosto de 2018. No entanto, a administração municipal prometeu elaborar um estudo para atender à reivindicação da categoria de que o tempo de planejamento dos professores – referente a correção de provas e atendimento às famílias – seja ampliado para 7 horas por semana. Atualmente, os professores têm apenas 5 horas semanais de planejamento, o que não atende ao tempo de 1/3 da jornada, que hoje é de 22h30.

A prefeitura teria prometido que apresentaria esse estudo no dia 16 de maio. Nesta quarta-feira, os educadores vão decidir se fazem uma paralisação geral ou se esperam essa reunião. A reportagem de O Tempo procurou a administração municipal, mas ainda não teve resposta.

Continua após a publicidade

A prefeitura prometeu apresentar esse estudo no dia 16 de maio.

Os trabalhadores do ensino infantil têm uma outra reunião na quinta-feira para decidir o rumo do movimento.

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 6,81% do piso nacional da educação. Além disso, reclamam de perdas salariais desde 1996, com plano de carreira da educação, que, segundo a categoria, somam 27,5%.

Também estarão paralisados os trabalhadores terceirizados, que irão avaliar a proposta da prefeitura que se refere à migração de todos os quase 7 mil trabalhadores com processo seletivo até 2020 e contagem de tempo de trabalho nas escolas municipais e Umeis de Belo Horizonte.

o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel) também estará presente na assembleia. Após as definições, está prevista uma caminhada dos servidores até a porta da Prefeitura de Belo Horizonte.


Comments are closed.