As professoras das Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) de Belo Horizonte decidiram na manhã desta quinta-feira pela continuidade da greve por tempo indeterminado. Elas fazem um protesto pelas ruas do centro da capital.

As servidoras estão reunidas na porta da sede da prefeitura na avenida Afonso Pena, onde participam de uma assembleia. Duas faixas da via no sentido Mangabeiras estão fechadas. Mas o ato não causa lentidão no trânsito

A greve das professores da educação infantil de BH começou no dia 23 de abril. No dia 17 de maio, os servidores do ensino fundamental da rede pública municipal também vão iniciar uma greve.

Continua após a publicidade

Todos os servidores lutam por reajuste no salário. As professoras das Umeis, especificamente, também querem uma readequação do plano de carreira.

De acordo com o Sind-Rede, um professor do ensino básico recebe R$ 1.451,00 mensais por 22,5 horas semanais de trabalho. Já os professores do ensino fundamental têm rendimentos de R$ 2.200,00 por mês pela mesma carga horária.

Passeata

Após a decisão pela continuidade da greve por tempo indeterminado, as professoras da educação infantil de Belo Horizonte fazem uma passeata pelas avenidas do centro da capital. Elas cobram da prefeitura uma equiparação no salário das servidoras com o dos docentes do ensino fundamental.

De acordo com o Sind-Rede, mais de 500 professoras participam do protesto. Elas caminharam da porta da prefeitura, na avenida Afonso Pena, até a avenida Augusto de Lima, próximo à Praça Afonso Arinos, onde fizeram um abraço simbólico pela educação.

“Você não terá reeleição se não unificar as carreiras, Kalil. Vamos acabar com a carreira política do prefeito se ele não cuidar da nossa educação, assim como acabamos com a do Aécio Neves, que ignorou a qualidade do ensino dos nossos estudantes durante anos”, afirmou uma das professoras em cima de um carro de som do Sind-Rede.

Siga pelo nosso canal de trânsito 

 

 

 


Comments are closed.