Passagens do metrô continuam a R$ 3,40 mesmo após determinação judicial

Os usuários do metrô de Belo Horizonte acordaram com uma péssima notícia: mesmo com decisão liminar do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que determina a suspensão do reajuste de 88,8%,  os bilhetes continuam custando R$ 3,40. Nas bilheterias da estação do Eldorado, em Contagem, os passageiros ficaram perplexos com a manutenção do aumento, mesmo com a decisão judicial.

A doméstica Shirlene Miranda dos Santos, de 30 anos, disse não ter acreditado quando viu que o bilhete continuava custando 3,40: “Não dá para entender: a justiça diz uma coisa, a CBTU faz outra. E quem paga é o povo”, afirma a doméstica. Já o auxiliar de logística Jhonathan Maciel, de 25 anos, perguntava quem iria pagar o valor pago a mais  neste sábado: “Vamos ficar no prejuízo, não é? É sempre assim, o povo é quem paga sempre no nosso país”, lamentou Michael.

Funcionários da CBTU disseram que a direção da companhia informou que não recebeu a notificação da Justiça. A reportagem não conseguiu contato até o momento com a assessoria da CBTU para saber se a companhia recebeu a notificação. A decisão judicial emitida em caráter liminar pelo TJMG prevê uma multa diária de R$ 250 mil por dia pelo descumprimento da decisão.

Nessa sexta, a Justiça deferiu o pedido de liminar feito por meio de ação popular ajuizada pelo deputado federal Fábio Ramalho (MDB) contra o aumento.

Nesta manhã, o parlamentar disse estar ciente de que a determinação ainda não foi cumprida, mas disse que por enquanto não há nenhuma outra ação a ser tomada. “É uma ordem judical com multa diária de R$ 250 mil. Temos que esperar ela ser cumprida”, disse Ramalho.

Alunos da Escola ‘José Olyntho Ferreira’ têm curso de saúde bucal, em Ipiaçu

Prefeito de Capinópolis busca, em Brasília, soluções para o Bairro Vale dos Sonhos