Secretaria de Saúde promoveu mutirão contra a dengue no Bairro Ideal

Equipe parabeniza a Dona Francisca por estar com o quintal sem focos do mosquito da dengue

CAPINÓPOLIS, MINAS GERAIS – Devido ao grande aumento de notificações de casos de dengue em abril deste ano ─ 35 ─, e como os Bairros Ideal 1 e 2 foram os com maior número de notificações proporcionalmente, a Secretaria de Saúde, após discutir o assunto no Comitê de Mobilização Contra a Dengue, em reunião ocorrida na tarde de quarta-feira, dia 09, decidiu realizar o mutirão nestes bairros.

Nossa reportagem acompanhou o mutirão, conversando com várias pessoas que trabalham na Secretaria e com a população, como foi o caso da senhora Francisca, que abriu as portas de sua residência para a equipe, onde a servidora Juliana fez o checklist de todos os itens que foram conferidos.

“Olha, a casa dona Francisca está limpinha, o seu quintal está muito organizado, na casa dela não há nenhum foco do mosquito da dengue. Ela tirou nota 10”, disse Juliana.

“Menino, eu passo o dia todo cuidando de minha casa, Deus me livre da dengue, não deixo nada que possa acumular água”, disse a moradora exemplar.

Um fato lamentável que a equipe verificou em algumas residências são pessoas que não permitem a entrada da equipe para vistoriar os quintais.

“A gente fica entristecido com uma situação dessas”, disse o coordenador de PSFs Celismar Vieira.

Marilane Vilela fiscaliza quintal no bairro Ideal

Segundo a educadora em Saúde, Marilane Vilela, em 2017, nos últimos LIRAS – Levantamentos do Índice Rápido, no período chuvoso, em Capinópolis o índice estava altíssimo, 8% dos domicílios investigados, enquanto que o índice tolerável pela OMS é de 1%. Em 2018, no último levantamento, o índice está 4,2% dos domicílios, ainda bastante alto, levando-se em conta que não é mais período chuvoso.

Em 2017 o número de notificações de dengue foi relativamente baixo, porque o vírus da dengue não estava circulando, o que infelizmente está ocorrendo agora, ou seja, mesmo com um índice menor de focos, praticamente a metade do índice do ano anterior, o número de casos triplicou.

“Nesse período onde as chuvas deram uma trégua, o local que mais estamos encontrando focos do mosquito é nos bebedouros de animais. Muitas vezes as pessoas trocam a água, mas não lavam as vasilhas”, disse Marilane, informando que o correto é lavar bem as vasilhas com água e sabão.

Equipe do controle de endemias faz selfie

A Secretaria de Saúde está fazendo a parte dela, cabe ao cidadão comprar a ideia e manter limpos os seus quintais, livres de locais que acumulam água das chuvas, tampar as caixas d’água e trocar regularmente, lavando-se sempre com água e sabão, os recipientes com água para animais e vasos de plantas.

“A dengue mata. Em 2015 tivemos dois casos de óbito em Capinópolis”, finalizou Celismar Vieira.

Recuperação de muros do Estádio ‘João Moreira de Souza’ está em fase final

Circuito de Mountain Bike Trilhas do Agro Etapa Capinópolis 2018