Secretaria de Saúde promoveu mutirão contra a dengue no Bairro Ideal

Segundo o coordenador de PSFs, Celismar Vieira, em 2015 tivemos dois casos de óbito em Capinópolis

Equipe parabeniza a Dona Francisca por estar com o quintal sem focos do mosquito da dengue

CAPINÓPOLIS, MINAS GERAIS – Devido ao grande aumento de notificações de casos de dengue em abril deste ano ─ 35 ─, e como os Bairros Ideal 1 e 2 foram os com maior número de notificações proporcionalmente, a Secretaria de Saúde, após discutir o assunto no Comitê de Mobilização Contra a Dengue, em reunião ocorrida na tarde de quarta-feira, dia 09, decidiu realizar o mutirão nestes bairros.

Nossa reportagem acompanhou o mutirão, conversando com várias pessoas que trabalham na Secretaria e com a população, como foi o caso da senhora Francisca, que abriu as portas de sua residência para a equipe, onde a servidora Juliana fez o checklist de todos os itens que foram conferidos.

Publicidade

“Olha, a casa dona Francisca está limpinha, o seu quintal está muito organizado, na casa dela não há nenhum foco do mosquito da dengue. Ela tirou nota 10”, disse Juliana.

“Menino, eu passo o dia todo cuidando de minha casa, Deus me livre da dengue, não deixo nada que possa acumular água”, disse a moradora exemplar.

Um fato lamentável que a equipe verificou em algumas residências são pessoas que não permitem a entrada da equipe para vistoriar os quintais.

“A gente fica entristecido com uma situação dessas”, disse o coordenador de PSFs Celismar Vieira.

Marilane Vilela fiscaliza quintal no bairro Ideal

Segundo a educadora em Saúde, Marilane Vilela, em 2017, nos últimos LIRAS – Levantamentos do Índice Rápido, no período chuvoso, em Capinópolis o índice estava altíssimo, 8% dos domicílios investigados, enquanto que o índice tolerável pela OMS é de 1%. Em 2018, no último levantamento, o índice está 4,2% dos domicílios, ainda bastante alto, levando-se em conta que não é mais período chuvoso.

Em 2017 o número de notificações de dengue foi relativamente baixo, porque o vírus da dengue não estava circulando, o que infelizmente está ocorrendo agora, ou seja, mesmo com um índice menor de focos, praticamente a metade do índice do ano anterior, o número de casos triplicou.

“Nesse período onde as chuvas deram uma trégua, o local que mais estamos encontrando focos do mosquito é nos bebedouros de animais. Muitas vezes as pessoas trocam a água, mas não lavam as vasilhas”, disse Marilane, informando que o correto é lavar bem as vasilhas com água e sabão.

Equipe do controle de endemias faz selfie

A Secretaria de Saúde está fazendo a parte dela, cabe ao cidadão comprar a ideia e manter limpos os seus quintais, livres de locais que acumulam água das chuvas, tampar as caixas d’água e trocar regularmente, lavando-se sempre com água e sabão, os recipientes com água para animais e vasos de plantas.

“A dengue mata. Em 2015 tivemos dois casos de óbito em Capinópolis”, finalizou Celismar Vieira.

Publicidade

Assista: ‘Agricultura Produtos Agrícolas’ comemora 5 anos de sucesso

Publieditorial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite o comentário
Por favor, digite seu nome