A maior parte dos R$ 5 mil que Gerson Rodrigues de Souza, de 79 anos, tinha para comprar remédios foram usados para pagar a conta de água do mês de abril para a Copasa, no valor de R$ 3.975,22.

Um aumento de 1.132 % em relação aos R$ 322,48 da fatura do mês de março.

O pagamento, realizado no dia 07 de cada mês, não foi opcional. Ele estava programado no débito automático e deixou o idoso em uma situação complicada.

Continua após a publicidade

Como se não bastasse esse inconveniente, Souza ainda teve problemas ao ir na agência de atendimento ao cliente, na avenida José Faria da Rocha, em Contagem.

Segundo ele, um funcionário da empresa foi “mal-educado” ao sugerir que ele quebrasse todo o apartamento para encontrar um suposto vazamento.

“Onde vou arranjar dinheiro para pagar um pedreiro para fazer isso?”, declarou o idoso.

Ainda de acordo com Souza, a empresa informou que o valor da conta corresponderia a uma quantidade de sete mil litros de água por dia.

Geraldo, filho do idoso, disse que se tal quantidade de água fosse vazada com certeza eles teriam notado, até porque seria um risco para a estrutura da casa.

A Copasa informou à reportagem de O TEMPO que existem procedimentos apropriados para fazer a retificação da conta, caso seja constatada a procedência da reclamação, mas não respondeu qual o prazo para que tal devolução aconteça.

De acordo com a companhia, um técnico será enviado ao local para realizar a verificação e as providências necessárias.  


Comments are closed.