O clássico deste sábado, às 16h, no Independência, tem significados distintos para Atlético e Cruzeiro. Enquanto o Galo precisa do resultado para tentar diminuir a pressão após as eliminações na Sul-Americana e na Copa do Brasil, a Raposa vai entrar em campo com time misto, priorizando, neste momento, a Copa Libertadores, torneio no qual decidirá a classificação na próxima terça-feira, contra o Racing.

Como de costume, os rivais mineiros fecharam os últimos treinamentos e fizeram mistério na escalação. Ambos não divulgaram nem os relacionados para a partida. Na tabela da Série A, o Atlético está na terceira posição, com 10 pontos – mesma pontuação do líder Flamengo, que está à frente pelos critérios de desempate. O Cruzeiro, por sua vez, ocupa o oitavo posto, com sete pontos.

O Atlético não terá o volante Gustavo Blanco, suspenso. O técnico Thiago Larghi já adiantou que Elias será o titular. Outro que deve ganhar espaço é o meia Luan, que volta ao time após ficar no banco no jogo contra a Chapecoense, pela Copa do Brasil. Com a entrada do ‘Menino Maluquinho’, Cazares retorna ao banco de reservas.

Continua após a publicidade

O Galo entra no clássico pressionado por ter sido eliminado da Sul-Americana e da Copa do Brasil. O triunfo contra o Cruzeiro, que pode garantir a liderança da Série A, é a resposta imediata que o time alvinegro precisa para trabalhar com mais tranquilidade até a parada para a Copa do Mundo, após a 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Uma derrota para a Raposa, contudo, pode agravar a crise alvinegra.

Apesar do momento turbulento, Larghi se mostrou confiante. “A expectativa para o clássico é boa. A gente sabe que nossa equipe tem um potencial de crescimento muito grande, haja vista o que a gente vem fazendo ao longo do tempo. Estamos em terceiro na competição e acreditamos que vamos buscar essa liderança. O grupo está bem focado para trabalhar. Já viramos a chave do jogo passado. É importante manter a concentração, o foco no Cruzeiro, pois é um jogo especial”, disse o técnico alvinegro.

Cruzeiro com time misto

A crise no rival foi assunto na entrevista coletiva do técnico Mano Menezes, que acredita que os jogadores do Atlético não serão ‘contaminados’ pelo clima tenso da Cidade do Galo. Mano também reduziu um pouco o peso da partida, explicando que o Campeonato Brasileiro não se resume ao clássico, incluindo os outros 18 clubes na disputa.

“Não vejo isso (momento turbulento do Atlético) como algo determinante para o que as equipes vão apresentar no clássico. Clássico por si só é maior do que tudo isso. Não vai ser a primeira vez que um lado está vivendo um momento melhor e o outro um pouco pior, já aconteceu aqui, lá outras vezes também. O clássico apaga muito dessas circunstâncias paralelas pela sua grandeza. Não temos um Brasileiro contra o Atlético, temos um Brasileiro contra os outros 19 concorrentes que temos. A cada jogo vamos tentar fazer o melhor, porque é a parte que nos interessa em termos de pontuação que o Cruzeiro quer ter na competição”, disse Mano Menezes.

O Cruzeiro vai utilizar um time mesclado com titulares e reservas no clássico. Suspenso, Dedé está fora do jogo. Outros dois jogadores importantes também não têm condição de jogo: o lateral-direito Edilson e meia-atacante Thiago Neves se recuperam de dores no tornozelo e na panturrilha, respectivamente. A Raposa terá outro compromisso importante três dias depois da partida contra o Atlético. O adversário será o Racing, pela última partida da fase de grupos da Copa Libertadores. Uma vitória simples deixa o Cruzeiro na ponta da chave.

Superesportes


Comments are closed.