A diretoria do Cruzeiro reclamou muito do tratamento recebido no Independência na tarde deste sábado, na derrota por 1 a 0 para o Atlético, em jogo pelo Campeonato Brasileiro. Vice-presidente de futebol do clube celeste, Itair Machado se revoltou com o fato de o clube alvinegro ter disponibilizado um camarote entre dois setores com integrantes da Galoucura, principal torcida organizada do Alvinegro. Em entrevista ao Globoesporte.com, no intervalo da partida, Itair fez duras críticas aos dirigentes do rival.

“O Atlético ao invés de ele vir aqui e fazer o serviço, ele colocou o Cruzeiro no meio (camarote), com 20 caras da Galoucura de um lado e 20 do outro. Eles estão provocando e ofendendo querendo partir para a briga. Eu estou comunicando o policiamento, porque eles não podem esperar acontecer o problema para agir. Eles (torcedores do Atlético) estão provocando e ofendendo, querendo partir para a briga”, relatou o vice-presidente de futebol.
“Não sei se foi o presidente ou a diretoria. É ele que manda (presidente), então foi ele. A torcida organizada não tem dinheiro para comprar o camarote. Eles pegaram nosso camarote e fizeram isso. Vocês estão vendo. Vai lá e filme. Isso é o Brasil. Depois eles falam que não é time pequeno. Isso é papel de time pequeno. O presidente não é homem? Porque ele não vem cá e não faz?”, complementou, em tom de indignação.
Em pronunciamento oficial após o fim da partida, o Cruzeiro ressaltou a revolta com o episódio no camarote do Independência. Como forma de protesto, a diretoria cancelou a entrevista coletiva do técnico Mano Menezes e de qualquer outro jogador. “O Cruzeiro Esporte Clube vem a público informar que em protesto não concedeu entrevistas pós-clássico deste sábado em função do tratamento que recebeu por parte do adversário, que em atitude covarde de seu presidente colocou o staff e a diretoria do Cruzeiro em camarotes ao lado de lutadores de uma torcida organizada. Não fosse a intervenção da Polícia Militar, haveria ocorrido uma tragédia hoje no estádio Independência”, finaliza.
O camarote reservado pelo Atlético para a delegação do Cruzeiro foi diferente daquele que costuma ser utilizado pelos diretores celestes em clássicos no Independência. Por meio da assessoria de comunicação, o Alvinegro deu sua versão para a troca do local. “O clube cedeu dois camarotes de 18 lugares, conforme solicitado pelo Cruzeiro. O único lugar que tinha camarotes com 18 lugares disponíveis era essa. Do outro lado do estádio não tinha”.
Organizada em camarote
Embora não seja comum, integrantes da principal torcida organizada do Atlético, a Galoucura, ocuparam um camarote no Independência exatamente ao lado daquele disponibilizado pelo clube aos diretores do Cruzeiro. Sobre isso, a assessoria de comunicação do Alvinegro afirmou que “não controla quem compra camarotes vizinhos” para os jogos no Horto. Depois, por meio de nota, o Atlético voltou a se pronunciar sobre o episódio. Veja, abaixo, na íntegra:

Sobre as reclamações do Cruzeiro Esporte Clube a respeito do tratamento recebido na partida deste sábado, cabe informar:
 
O Atlético atendeu a todas as solicitações do clube visitante, seja nos camarotes destinados à sua diretoria e convidados, seja na segurança reservada a eles.
 
Lamentamos que o Cruzeiro tenha optado pelo ataque verbal ao presidente do Atlético, o chamando de “covarde”, quando os verdadeiros covardes são os que acobertaram torcedores que agrediram nossos atletas, além de diversos transtornos ocorridos na final do Campeonato Mineiro, no Mineirão.
 
Vale ressaltar que prezamos sempre pela segurança das equipes visitantes, não havendo qualquer ocorrência que desabone nossa conduta. Em assim sendo, não havendo um incidente sequer, reputamos as reclamações do rival como um mero choro de perdedor.
Superesportes

Comments are closed.