Um protesto de caminhoneiros fecha vários trechos de rodovias mineiras na manhã desta segunda-feira (21) e e interdita parcialmente pontos nas BRs 040, 381 e 262. A categoria protesta contra a alta nos preços dos combustíveis.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, na BR-381, estão interditados os trechos próximos a Igarapé, na região metropolitana, e Oliveira, no Centro-Oeste do Estado. Na BR-040, os pontos de interdição estão em Ribeirão das Neves, na região metropolitana, Barbarcena, no Campo das Vertentes, e em Matias Barbosa, na Zona da Mata. Já a BR-262 tem interdição na altura de Juatuba, na região Central.  

Nesses locais, uma faixa está liberada para a passagem de veículos pequenos.

Continua após a publicidade

No KM 511 da BR-040, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, o ato começou por volta das 4h no sentido capital.

Segundo um dos manifestantes, Samuel Brandão, cerca de 80 caminhoneiros foram parados por colegas de profissão que já estavam na rodovia. “Ficou impraticável. Com esse preço de óleo diesel, a gente não consegue ter aumento de fretes. Estamos trabalhando de graça e precisamos ter uma baixa no valor do óleo. Precisamos voltar a trabalhar honestamente”, explicou.

Durante o tempo que ocuparam uma das faixas, queimando pneus, os manifestantes permitiram a passagem na outra faixa de veículos de passeio, ônibus, vans, ambulâncias e caminhões que transportavam carga viva.

O comerciante José Antônio Pereira saiu de Curvelo, na região Central, para comprar verduras na Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa), em Contagem, também na Grande BH. No entanto, o veículo em que ele estava junto com o motorista foi o primeiro a ser parado. 

“Não sabia do protesto. Estavámos passando pelo trecho (em Ribeirão das Neves) quando ‘os caras’ chegaram com uma lanterna e mandaram encostar. Não sei que horas vou voltar para casa. Tem que prostestar mesmo, o combustível está muito caro. Brasileiro só vive para pagar impostos e mais nada”, afirmou.

A forma de abordagem dos manifestantes incomodou alguns caminhoneiros. “Eles apareceram do nada na pista ordenando que a gente parasse. Levei um susto pensando que fosse ladrão. Acho justo o motivo do protesto, mas acredito que não deveria ser uma situação obrigada. Para quem quer”, disse um caminhoneiro, que pediu para não ser identificado.

A manifestação em Ribeirão das Neves acabou no fim da manhã. 

Acidente

Enquanto os caminhoneiros protestavam no sentido capital, um engavetamento envolvendo três veículos de passeio complicou o trânsito no sentido Sete Lagoas. O congestionamento passou de dois quilômetros. De acordo com a Via 040, empresa responsável pelo trecho, ninguém se feriu.

Efetivo de policiais durante manifestação

A reportagem do Super Notícia esteve na BR-040, em Ribeirão das Neves, por mais de quatro horas na manhã de ontem. Na metade desse tempo, o ato era acompanhado por apenas dois policiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em uma viatura.

Uma fonte ouvida pela reportagem afirmou que os agentes estavam trabalhando há mais de 24 horas e seriam responsáveis pelo trecho entre Neves e a cidade de Nova Lima, uma distância de quase 60 quilômetros. 

Às 8h45, os policiais ganharam apoio de outros quatro agentes, que apareceram em motocicletas. A assessoria de imprensa da corporação foi procurada e informou que não divulga para imprensa informações de estratégias e efetivos.

A PRF destacou que sempre estará negociando com as lideranças a liberação pacífica, e que “outras ações só serão tomadas quando não houver mais diálogo”. 

 

Atualizada às 12h48


Comments are closed.