Em uma semana, quatro homens foram encontrados mortos por enforcamento na Penitenciária Professor Aluízio Ignácio de Oliveira, localizada em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Eles estavam com uma corda, feita de lençol, amarrada ao pescoço.

As vítimas eram do sexo masculino, tinham entre 22 e 49 anos e morreram no presídio entre os dias 14 e 21 de maio.

Um quinto homem, de 62 anos, queixou-se de dores no mesmo período, foi encaminhado para o Núcleo de Saúde da unidade prisional e, posteriormente, levado com vida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Parque do Mirante, onde faleceu.

Continua após a publicidade

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) disse que as mortes estão sendo investigadas pela Polícia Civil e que a direção da unidade não recebeu nenhum pedido de mudança de cela e/ou solicitação de presos para serem encaminhados ao “seguro”, cela onde ficam os detentos que se sentem ameaçados.

A direção da penitenciária instaurou um procedimento interno para apurar os fatos administrativamente.

Vítimas

As primeiras mortes foram de Carlos André da Silva, de 38 anos, e Gabriel Felipe Costa Silva, de 22 anos, ambos no segunda-feira (14).

Um dia depois (15), Duplanil Eterno Braga, de 62 anos, foi encaminhado para a UPA com fortes dores e morreu por volta de 18h.

A vítima seguinte foi João Gustavo Simão Lacerda, de 26 anos, enforcado no sábado (18).

Três dias depois, na noite dessa segunda-feira (21), foi confirmada a morte de Edmar Aparecido Oliveira, de 49 anos.


Comments are closed.