A greve dos caminhoneiros já deixa os postos de Belo Horizonte e do interior de Minas Gerais com pouco ou nenhum combustível.

“Não tem etanol nem gasolina desde ontem a noite. O estoque não grande e não estávamos prevendo que isso iria acontecer”, disse um frentista do posto Colibri, localizado na avenida Antônio Carlos próximo a barragem da lagoa da Pampulha.

Na mesma avenida, um funcionário do posto Tropico, que fica em frente a entrada da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), disse que o estoque de etanol vai terminar nesta quarta-feira (23) e o de gasolina nesta quinta (24).

Continua após a publicidade

A reportagem de O TEMPO conversou com os responsáveis por outros postos da cidade e a maioria relata que apesar de ter combustível o estoque já está acabando já que há três dias eles não recebem a reposição.

Ainda de acordo com funcionários dos postos, as filas estão grandes nos locais. Por causa da escassez em alguns postos os preços subiram. Em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, um posto no bairro Eldorado aumentou o preço de R$ 2,75 para R$ 2,99.

No interior 

O etanol foi o primeiro a acabar no Moderna Auto Posto em Martinho Campos, na região Metropolitana, e também no Posto Veraneio XIII em Coronel Fabriciano, na região do Vale do Aço.  

Segundo um funcionário do Posto Veraneio, a gasolina e o diesel devem durar no máximo mais duas horas. O abastecimento dos combustíveis acontece a cada dois dias, segundo ele.

Greve dos petroleiros

Os petroleiros da Refinaria Gabriel Passos (Regap) deicidiram na manhã desta quarta-feira (23) realizar uma paralisação de oito horas.

Com a decisão, aproximadamente 200 funcionários da operação da Regap deixaram de trabalhar.

Segundo o coordenador do Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro), Anselmo Braga, a paralisação tem como objetivo apoiar a greve dos caminhoneiros.

Caminhoneiros fecham estradas mineiras em protesto 

O terceiro dia de protesto dos caminhoneiros começou com o trânsito travado na BR-381, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, nesta quarta-feira (23).

Na altura do KM 486, em frente a Fiat os caminhoneiros, além de impedir a passagem dos veículos de carga, estão também interditando a rodovia por alguns cerca de dois minutos para os outros veículos no sentido Belo Horizonte e depois liberam. 

De acordo com a Autopista Fernão Dias, os caminhoneiros ocupam uma faixa da rodovia e também o acostamento. Com as interdições uma fila de carros se formou na rodovia. 

Na  Refinaria Gabriel Passos (REGAP) em Betim  os caminhoneiros impediam os caminhões-tanque que tentavam se dirigir para efetuar o abastecimento dos veículos. A manifestação é contra as sucessivas altas nos preços dos combustíveis. 

Uma fila de caminhões se forma no início da manhã desta quarta-feira (23) desde o bairro PTB em Betim até o acesso a Regap. 

Alguns motoristas, que transportavam alimentos e preferiram não se identificar, relataram que foram impedidos de trafegar pela rodovia por um grupo que chegou até mesmo a apedrejar um caminhão que transportava laticínios.

Outras BRs

Nesta quarta-feira vária estradas de Minas Gerais amanheceram fechadas em protesto. Os veículos de carga são impedidos de passar, para os outros veículos o trânsito é livre. 

Na BR-040 também já são, pelo menos, seis pontos da rodovia com interdições.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) na manhã desta quarta há interdições também nas rodovias 365, 262, 050, 116, 251 e 153. 

Veja o MAPA com os pontos das interdições em Minas. 


Comments are closed.