A Prefeitura de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, suspendeu as aulas das escolas municipais nesta sexta-feira (25) – por causa da greve dos caminhoneiros, que atinge diversos Estados do Brasil.

Nota oficial da prefeitura local diz que “em decorrência do movimento coordenado pelos caminhoneiros, a cidade já registra desabastecimento de combustíveis. Por conta disso, as aulas nas escolas e centros infantis serão suspensas nesta sexta”.

Os veículos que realizaram transporte de estudantes, portanto, não circularão nesta sexta. Já o transporte urbano na cidade da grande BH também será reduzido – com horário de sábado.

Continua após a publicidade

Apoio e crítica

Pela rede social Facebook, o prefeito de Betim, Vittorio Medioli, disse apoiar o movimento de caminhoneiros, que entrou em greve e realiza diversas paralisações desde a última segunda-feira (21) em todo o país.

“É a medida mais acertada dos últimos 10 anos (a greve dos caminhoneiros). O governo (federal) tem que entender que uma paralisação como essa o que tem que ser feito. A Petrobras está na mãos de pessoas incompetentes. Substituíram os corruptos por incompetentes”, disse Medioli.

O prefeito continuou a criticar as posições adotadas pelo governo Michel Temer. De acordo com Medioli, o governo troca os “pés pelas mãos”. “O monopólio que foi zerado em volta do petróleo é exatamente para dar tranquilidade ao país. O que eles estão fazendo é estressar e colocar os pés pelas mãos. Não dá”, afirmou.

Medioli finalizou dizendo que as paralisações farão cair as fichas das pessoas “que não têm inteligência e não conhecem a vida competitiva e não conhecem o que é sustentar uma empresa, uma atividade econômica e querem fazer uma ditadura da ignorância no Brasil”.


Comments are closed.