A prefeita cassada de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, Roseli Ferreira Pimentel (PSB), renunciou ao mandato no fim da tarde de ontem. A renúncia acontece um dia antes de a prefeita afastada ser ouvida pela Câmara Municipal, na Comissão Processante do Impeachment. 

Roseli Pimentel é acusada de assassinato do jornalista Maurício Campos Rosa, e tinha cinco cassações de seu mandato na Justiça Eleitoral, em primeira instância. Ela recorreu e aguardava recurso em Brasília. Com a renúncia, que é um pedido irretratável e não precisa ser aceito pela Câmara, esses processos perdem o objeto e devem ser extintos.

Em novembro de 2017, o professor de Direito Constitucional Abraão Gracco entrou com pedido de impeachment junto à Câmara Municipal alegando que a ex-prefeita teria perseguido guardas municipais; o que teria ocasionado prejuízos aos cofres públicos e a segurança da população. O pedido foi aceito pela maioria dos vereadores.

Continua após a publicidade

Em contato com a reportagem de O Tempo, Abraão Gracco disse que o ato de Roseli foi “heroico”, uma vez que a cidade está “sangrando e abandonada”. Ele disse também que com a renúncia, Roseli não perderá os direitos políticos, podendo, inclusive, concorrer nas próximas eleições

Gracco ressaltou à coluna que o pedido de impeachment feito por ele não tem relação com a acusação criminal atribuída à ex-prefeita no caso do jornalista Maurício Campos Rosa.

O pedido de renúncia de Roseli foi protocolado às 16h38 de ontem na Câmara Municipal. No pedido, a ex-prefeita diz que está submetida há mais de 250 ao cumprimento de prisão preventiva, posteriormente convertida em prisão domiciliar.

Na carta, além de citar a manutenção da prisão e do afastamento do cargo público feita pelo Superior Tribunal de Justiça, Roseli se defende das acusações que lhe são atribuídas. 

“Reafirmo a minha mais absoluta inocência, pois, não pratiquei os crimes que me são atribuídos. Contudo, não tenho mais condições de lutar, ao mesmo tempo, pelo reconhecimento de minha inocência e pela preservação do honroso mandato que me foi dado pelos eleitores luzienses.”

Roseli continua a carta dizendo que provará sua inocência e que concentrará todas as suas forças nesta missão, que a considera como a “única forma aceitável para retribuir a confiança depositada a ela nas urnas”.

Por fim, ela assinou o comunicado ao presidente da Câmara Municipal, em caráter irretratável, sua renúncia ao cargo de prefeita municipal de Santa Luzia. 

A reportagem tentou contato com a defesa da prefeita, mas não teve as ligações atendidas.

Atualizada às 19h00.

 


Comments are closed.