A universitária de 20 anos presa suspeita de participação no assassinato da mãe adotiva em Rodeiro, na Zona da Mata, se envolveu em uma briga com outras detentas nessa quarta-feira (23).

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), o desentendimento ocorreu no fim da tarde no Presídio de Ubá, cidade vizinha, e precisou da intervenção de agentes penitenciários. O motivo do atrito entre as mulheres não foi esclarecido.

A jovem, que cursava o 5º período do curso de direito, chegou a ser encaminhada ao Hospital Santa Isabel, mas não foi constatada nenhuma lesão.

Continua após a publicidade

Ainda conforme a Seap, a direção da unidade prisional instaurou um procedimento interno para apurar o fato administrativamente. O juiz da comarca também foi comunicado dos fatos. Devido à briga, após a avaliação do episódio pelo conselho disciplinar do presídio, as detentas poderão sofrer sanções disciplinares.

O caso

No último domigo (20), Geny Benevenuto, de 67 anos, foi assassinada dentro de casa com quatro tiros. Em conversa com a filha, ela contou aos militares que tinha ido a Ubá de carro e, ao retornar para Rodeiro, foi perseguida por dois homens em uma motocicleta. Já na porta de casa teria sido abordada pela dupla armada, que anunciou o assalto, e a obrigou a entrar no imóvel. Geny estava no 2º andar quando foi rendida e baleada. Os criminosos fugiram levando o celular da idosa.

Enquanto contava a história do roubo, a equipe policial desconfiou da frieza da suspeita momentos depois da morte da mãe. Durante a conversa, ela acabou confessando o crime, e entregou que o irmão biológico de 22 anos – que não é filho da vítima – e um adolescente de 14 estavam envolvidos no homicídio.

A mulher alegou que o irmão estava exigindo dinheiro e ameaçou matá-la caso não recebesse o valor solicitado. Ele foi localizado junto com o adolescente e apresentou uma outra versão para o crime: contou que a irmã o procurou dias antes do assassinato e ofereceu R$ 3 mil para que ele desse um “susto” na mãe adotiva. 
Os dois maiores foram presos e o menor apreendido. 

Segundo familiares, a mulher tinha interesse na morte da mãe para ficar com a herança da vítima e do pai adotivo. Geny era proprietária de duas casas e um lote na cidade de Rodeiro. Parentes também desconfiam que a idosa tenha feito um seguro de vida. No entanto, o valor do documento não foi divulgado.

 


Comments are closed.