Apesar do anúncio da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) de que, desde a terça-feira (29), as linhas de ônibus da Capital voltariam a circular normalmente, o presidente da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), Célio Bouzada, informou que 18% das viagens não estão sendo feitas.

“No dia de ontem (terça) estavam programadas 25.287 viagens, que é o número de viagens realizadas em um dia normal, mas, foram feitas 20.736. Algumas garagens estão sem combustível e sem combustível não tem como operar”, afirma.

Bouzada justificou a falta de veículos dizendo que a paralisação dos metroviários exigiu a readequação de algumas linhas para suprir as demandas dos passageiros.  O circular 104,  que trafega ao longa da avenida Afonso Pena, no centro da capital, e a linha 205, que liga o Bairro Buritis, na região Oeste, a estação Calafate, por exemplo, foram reforçadas para atender à população.

Continua após a publicidade

Já os coletivos que circulam pela UFMG, PUC Minas e Cidade Administrativa foram reduzidas devido à suspensão das atividades nessas instituições. “Com o cenário de crise estamos gerenciando a restrição e estamos agindo de acordo com a demanda”, garante. 

Nesta quinta-feira (31), as linhas vão circular em horário de feriado. “A população precisa compreender que estamos olhando o dia de hoje, mas já pensando no amanhã. Se o combustível não voltar, amanhã pode faltar”, alerta o presidente da BHTrans


Comments are closed.