André Janones / reprodução: Facebook

[sg_popup id=”3″ event=”onload”][/sg_popup]

O advogado André Janones, 34 anos, conhecido na região do Pontal do Triângulo Mineiro pela defesa de pessoas menos favorecidas ─ que sofrem com o sistema precário na área da saúde ─ foi rotulado de ex-petista e ‘agitador’ pelo jornal Folha de S.Paulo.

Eles gritam e socam a mesa em vídeos compartilhados milhares de vezes, pregam a derrubada do presidente Temer e atacam a Rede Globo em um discurso estridente que é visto pelo Planalto como dos mais radicais na paralisação dos caminhoneiros”, diz trecho da matéria, que também aborda o comportamento de Wallace Landim, o “Chorão”, 39 anos.

Continua após a publicidade

O advogado, que detém um temperamento intempestivo diante de situações pontuais, é visto com o um dos líderes do movimento de paralisação dos caminhoneiros ─ seus vídeos inflamados já foram assistidos milhões de vezes ─ e até o Movimento Brasil Livre (MBL) depreciou a atuação ─ vista como política ─ de Janones.

O jornal El País também repercutiu a militância do advogado junto aos caminhoneiros e chegou a denominá-lo de ‘Porta-voz’ da greve.

Em um dos vídeos, André Janones chama o presidente Temer de vagabundo e safado, foi visto 14 milhões de vezes.

À reportagem da Folha, Janones afirmou que deixou o PT em 2012 por razões “municipais, divergências internas do partido, que queria apoiar um candidato que eu não apoiava”. “O meu histórico no PT não foi de um político, foi de um filiado comum. Nunca exerci nenhum cargo de direção, nunca disputei nenhuma eleição.”

A repercussão da atuação de André Janones divide opiniões e o resultado deverá ser refletido nas urnas ─já que, provavelmente, o advogado deve ser candidato à deputado.

COMO O PLANALTO VÊ A ATUAÇÃO DOS ‘AGITADORES’

O presidente da Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros), José da Fonseca Lopes, afirmou nesta segunda-feira em entrevista à imprensa na sede da entidade que a paralisação não é mais dos caminhoneiros, mas de pessoas que querem “derrubar o governo”. Ele não citou nominalmente tais pessoas.

Fonseca estimou que ainda faltavam cerca de 250 mil caminhões deixarem a paralisação. “Não é o caminhoneiro mais que está fazendo greve. Tem um grupo muito forte de intervencionistas nisso aí. Eles estão prendendo caminhão em tudo que é lugar. […] São pessoas que querem derrubar o governo. Eu não tenho nada que ver com essas pessoas, nem nosso caminhoneiro autônomo tem. Eles estão sendo usados por isso”, disse.


Comments are closed.