Marilane Vilela na escola Branca de Neve em Capinópolis / foto: arquivo pessoal

A Secretaria Municipal de Saúde de Capinópolis está com um trabalho intensificado visando combater o mosquito Aedes aegypti tendo em vista o grande número de notificações de dengue que ocorreram em abril, 35, sendo uma época onde o clima está bem mais fresco e as chuvas praticamente já pararam, não se justificando um aumento das notificações de dengue.

Diante dessa preocupação, o Comitê de Enfrentamento da Dengue de Capinópolis se reuniu e determinou a realização de um mutirão emergencial contra a dengue nos Bairros Ideal 1 e Ideal 2, onde foram muitos os casos de dengue.

Publicidade

“É um trabalho de suma importância, porque as notificações não param – Disse Marilane Vilela – a gente já fez um mutirão emergencial no Novo Horizonte e hoje a gente está aqui no Ideal. E é um trabalho em equipe, com as ACSs, a Educação em Saúde e os coordenadores, o Celismar e a Laíse, que também hoje estão aqui com a gente, e é muito importante eles estarem com a equipe, porque eles estão vendo que tem moradores que infelizmente não deixaram a gente entrar. Muitos porque estão no trabalho, então temos que voltar depois, mas é um trabalho realmente muito gratificante para a gente”.

Estão sendo encontrados focos demais em bebedouros de animais?

Marilane Vilela: Realmente. Infelizmente o morador não cuida do bebedouro do cachorro, da galinha, não lava com bucha ou a escova e sabão, porque quando se faz esse processo estamos eliminando os ovos do mosquito, geralmente eles só trocam a água e isso só não resolve.

O que as pessoas devem fazer? 

Marilane Vilela: Não é por falta de falar, dialogar com o morador, porque tem as ACSs, tem a Educação em Saúde, que fica ali orientando a população, porque ela tem que dar uma olhada no quintal, jardim, checar a caixa d’água, calha, lavar os bebedouros dos animais e não deixar nada que possa acumular água, para evitar a proliferação do Aedes aegypti.

Estamos em maio e o grande número de notificações ainda está acima da média?

Marilane Vilela: Sim, é preocupante, porque não estamos no período chuvoso, a pessoa descuida e deixa aí, mais uma vez, sem olhar uma caixa d’água, por exemplo, onde a abertura pode ser pequena, mas o mosquito é pequeno e passa por essa abertura, então a caixa d’água tem que ser totalmente vedada, e mais uma vez eu alerto: nós temos encontrado muitos bebedouros com larvas.

Onde são detectados os focos nos bairros, porque quando encontram o foco do mosquito, eles fazem a eliminação, lavam o bebedouro, tampam a caixa d’água, faz alguma coisa para resolver o problema, informam o dono da casa como ele deve proceder. 15 dias depois eles voltaram e a grande maioria estava novamente com focos do mosquito, quer dizer, o trabalho que foi feito não surtiu efeito, porque a dona de casa não vestiu a camisa, não entendeu a seriedade que é o assunto.

Marilane Vilela: Você tocou no ponto, realmente, a população não leva a sério. Após realizar o índice, chega para a gente o resultado das residências com foco positivo, a gente volta, eu mesma acompanho e por incrível que pareça encontra foco novamente. A gente fica realmente decepcionado, porque o morador não veste a camisa. Reclamar eles sabem, mas atitude eles não têm.

Quais as consequências da dengue?

Marilane Vilela: A consequência para quem tem uma Chikungunya leva muito tempo e tem gente que fala que por muito tempo o fígado, o baço, fica atacado por causa do vírus.


Vale a pena abrir uma empresa enquadrada no MEI? Saiba algumas vantagens e desvantagens

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here