A crise de abastecimento de combustíveis e alimentos em Belo Horizonte, provocada pela greve dos caminhoneiros, pode afetar a rotina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) pelos próximos dias. É o que alerta a reitoria da instituição de ensino, em nota divulgada neste sábado (2). 

Mesmo com os boatos de uma nova paralisação, a UFMG definiu que as aulas serão retomadas nesta segunda-feira (4). “Destacamos que o momento de instabilidade vivido pelo país requer de toda a comunidade serenidade e colaboração”, diz o comunicado assinado pela reitora Sandra Goulart Almeida e pelo vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira. 

“Os efeitos do desabastecimento podem ainda afetar a rotina da instituição nos próximos dias e, com espírito democrático, solicitamos a compreensão de todas e todos”, completam os reitores, que não explicaram na nota quais setores da universidade podem ser afetados.

Continua após a publicidade

De acordo com a UFMG, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) ainda vai deliberar sobre os ajustes que serão feitos no calendário escolar para a reposição das aulas suspensas.

A universidade suspendeu as aulas no dia 26 de maio, uma segunda-feira. As atividades administrativas essenciais ao funcionamento da UFMG foram mantidas nesse período.


Comments are closed.