A onda de incêndios criminosos a ônibus que começou nesse domingo (3) no Triângulo Mineiro, e passou por vários municípios mineiros, chegou a Belo Horizonte.

Pelo menos 13 cidades foram atingidas pelos ataques. As principais: Uberlândia, Uberaba, Araxá, Varginha, Alfenas, Guaxupé, Pouso Alegre, Itajubá, Passos, Poços de Caldas, Monte Santo de Minas, Belo Horizonte e Santa Luzia.

A Polícia Militar (PM) registrou três incêndios na capital mineira e região metropolitana. O primeiro aconteceu por volta de 22h40 desse domingo, no bairro Santa Mônica, na região da Pampulha.

Continua após a publicidade

De acordo com a PM, dois indivíduos entraram pela porta traseira de um ônibus da linha 609, mandaram o motorista sair e atearam fogo no banco do trocador. Logo após a fuga dos suspeitos, o motorista voltou para o veículo e apagou o incêndio.

Pouco tempo depois, por volta de 1h dessa segunda-feira (4), um ônibus particular foi incendiado em Santa Luzia, na região metropolitana da capital. Os danos foram de pequenas proporções, segundo os militares, e o fogo atingiu o banco do motorista e o painel.

Por volta de 4h50, um outro ataque. Desta vez, no bairro Alto dos Pinheiros. O ônibus era da linha 1505 e também foi controlado no começo.

Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH), forem nove ônibus queimados na capital em 2018.

A entidade declarou que o sistema de transporte coletivo urbano por ônibus de Belo Horizonte encontra-se impossibilitado financeiramente de repor os ônibus retirados de circulação em decorrência de incêndio criminoso.

O SetraBH destaca que um ônibus convencional queimado significa prejuízo de R$ 400 mil, incluídas no preço todas as tecnologias embarcadas, e que não há seguro contra ações dessa natureza.

Áudio

A reportagem de O TEMPO teve acesso a um áudio que circula em um grupo de agentes penitenciários no WhatsApp. Conforme um dos integrantes, ele teria sido gravado por um presidiário que faz parte do PCC, o Primeiro Comando da Capital.

Na mensagem, o suposto detento fala sobre um ataque a um ônibus que aconteceu na tarde desse sábado (2), em Natal, no Rio Grande do Norte. Além disso, o preso dá uma ordem para que os integrantes do PCC em Minas façam o mesmo.

“Aos irmãos, a parada é o seguinte. Esse salve aí,que é para o Rio Grande do Norte, também está valendo para Minas. Aos irmãos que puderem ventilar o comunicado na rua é pra colocar o bagulho pra quebrar. Na hora que for meter fogo no busão é para ter cautela. O papo é esse, é para dar uma representada” (Sic), diz o homem.

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) disse que as forças de segurança estão mobilizadas para prevenir e reprimir os incêndios a coletivos nos municípios de Uberaba e Uberlândia, e que a motivação ainda é desconhecida. A Seap investiga os áudios que circulam nas redes sociais e informa que, até o momento, não é possível afirmar que os mesmos partiram do sistema prisional mineiro.


Comments are closed.