Ônibus foi totalmente destruído / foto: Reprodução

A PM (Polícia Militar) informou que prendeu 30 pessoas suspeitas de participar de ataques a ônibus e locais públicos em 16 municípios de Minas Gerais, neste domingo (3) e nesta segunda-feira (4). Oito dessas pessoas foram presas em flagrante. A corporação ainda investiga se a ordem para os ataques teria partido de integrantes de facções criminosas em presídios do estado.

Pelo menos 30 ônibus e quatro carros foram atacados e incendiados no estado em menos de 24 horas, além de locais públicos atacados. De acordo como o major Flávio Santiago, porta-voz da PM mineira, um áudio, atribuído a uma facção criminosa, que falaria sobre uma ordem para queimar ônibus no Rio Grande do Norte e em Minas Gerais está sendo investigado.

Segundo Santiago, a origem dos ataques e o áudio estão sendo pesquisados pela inteligência do sistema prisional mineiro, da Polícia Civil, da PF (Polícia Federal) e da própria PM.

Continua após a publicidade

Trinta pessoas foram presas até o momento, oito delas em flagrante, por suspeita de envolvimento nos ataques a ônibus e a locais públicos. As ações dessas pessoas estão sendo registrados pela Polícia Civil como incêndio criminoso, dano, e porte de arma de fogo.

Ainda segundo o major, o monitoramento da corporação começou a ser feito ainda no período da tarde deste domingo, quando as ações tiveram início. Além de ataques a ônibus, foram registrados disparos de tiros contra locais públicos, como agências bancárias e delegacias.

Em Alfenas (MG), três adolescentes foram apreendidos em flagrante por suspeita de envolvimento nos ataques. Um dos adolescentes teve queimaduras e está internado em estado grave em hospital do município.


Comments are closed.