Ao menos 25 ônibus em 17 cidades foram atacados em Minas Gerais em menos de 24 horas. O caso mais recente aconteceu na tarde desta segunda-feira (4), em Uberaba, no Triângulo Mineiro.(Leia mais AQUI). 

A corporação trabalha com a possibilidade de uma ação orquestrada por fações criminosas organizado pelas redes sociais. Até o momento, 30 pessoas foram conduzidas, sendo que oito tiveram a prisão em flagrante confirmada. 

De acordo com o chefe da Sala de Imprensa da Polícia Militar, major Flavio Santiago, especula-se que sejam crimes com demandas vindas de dentro dos presídios.

Continua após a publicidade

“Não foi algo só em Minas, tivemos registros de ações semelhantes em outros Estados, como São Paulo. O serviço de inteligência irá investigar, mas mesmo sendo regiões distantes, com as redes sociais é possível essa articulação”, afirmou. 

No incêndio registrado em Itajubá, no Sul de Estado, foi deixado um bilhete com o motorista em que os bandidos reclamavam de opressão no presídio da cidade e também de problemas no presídio federal de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte.

Em Belo Horizonte e na região metropolitana, a Polícia Militar (PM) registrou três incêndios. O primeiro aconteceu por volta de 22h40 desse domingo, no bairro Santa Mônica, na região da Pampulha.

De acordo com a PM, dois indivíduos entraram pela porta traseira de um ônibus da linha 609, mandaram o motorista sair e atearam fogo no banco do trocador. Logo após a fuga dos suspeitos, o motorista voltou para o veículo e apagou o incêndio.

Pouco tempo depois, por volta de 1h dessa segunda-feira (4), um ônibus particular foi incendiado em Santa Luzia, na região metropolitana da capital. Os danos foram de pequenas proporções, segundo os militares, e o fogo atingiu o banco do motorista e o painel.

Por volta de 4h50, um outro ataque. Desta vez, no bairro Alto dos Pinheiros. O ônibus era da linha 1505 e também foi controlado no começo.

Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH), forem nove ônibus queimados na capital em 2018.

A entidade declarou que o sistema de transporte coletivo urbano por ônibus de Belo Horizonte encontra-se impossibilitado financeiramente de repor os ônibus retirados de circulação em decorrência de incêndio criminoso.

O SetraBH destaca que um ônibus convencional queimado significa prejuízo de R$ 400 mil, incluídas no preço todas as tecnologias embarcadas, e que não há seguro contra ações dessa natureza.

Confira a lista das cidades atacadas:

Itajubá 
Brasópolis
Monte Santo  de Minas
Lagoa Prata 
Passos 
Guaxupé
Alfenas
Poços de Caldas
Uberaba
Uberlândia
Araxá
Pouso Alegre
Cruzília
Varginha
Belo Horizonte
Três Corações
Santa Luzia


Comments are closed.