Desde que a série de ataques a ônibus começou em Minas Gerais no último domingo (3), ao todo 35 coletivos foram destruídos por incendiários em 18 cidades do Estado. Os números foram informados pela Polícia Militar na manhã desta terça-feira (5). Ainda de acordo com a corporação, aproximadamente 40 criminosos envolvidos nesses casos já foram presos.

A PM trabalha com a possibilidade de uma ação orquestrada por facções criminosas organizada pelas redes sociais. De acordo com o chefe da sala de imprensa da corporação, major Flávio Santiago, especula-se que sejam crimes com demandas vindas de dentro dos presídios.

Ordens seriam do PCC

Continua após a publicidade

A reportagem de O TEMPO teve acesso a um áudio que circula em um grupo de agentes penitenciários no WhatsApp. Conforme um dos integrantes, ele teria sido gravado por um presidiário que faz parte do PCC, o Primeiro Comando da Capital.

Na mensagem, o suposto detento fala sobre um ataque a um ônibus que aconteceu na tarde do último sábado, em Natal, no Rio Grande do Norte. Além disso, o preso dá uma ordem para que os integrantes do PCC em Minas façam o mesmo.

“Aos irmãos, a parada é o seguinte. Esse salve aí,que é para o Rio Grande do Norte, também está valendo para Minas. Aos irmãos que puderem ventilar o comunicado na rua é pra colocar o bagulho pra quebrar. Na hora que for meter fogo no busão é para ter cautela. O papo é esse, é para dar uma representada” (Sic), diz o homem.

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) disse que as forças de segurança estão mobilizadas para prevenir e reprimir os incêndios a coletivos.

A Seap investiga os áudios que circulam nas redes sociais e informa que, até o momento, não é possível afirmar que os mesmos partiram do sistema prisional mineiro.

Confira a lista das cidades atacadas:

Itajubá
Brasópolis
Monte Santo de Minas
Lagoa Prata
Passos
Guaxupé
Alfenas
Poços de Caldas
Uberaba
Uberlândia
Araxá
Pouso Alegre
Cruzília
Varginha
Belo Horizonte
Três Corações
Santa Luzia
Tupaciguara


Comments are closed.