O jornal O TEMPO é finalista do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde, principal premiação de jornalismo com essa temática na América Latina, que é apoiado pela Secretaria Técnica da Fundação para o Novo Jornalismo Iberoamericano de Gabriel García Márquez. De autoria da repórter Joana Suarez em parceria com os fotógrafos Fernanda Carvalho e Moisés Silva, a matéria ‘Vivendo a morte’ foi escolhida entre 360 trabalhos inscritos no concurso na categoria ‘Internet’.

“Essa matéria foi uma das mais importante que fiz no jornal, me fez crescer como jornalista e pessoa. Fico emocionada por ver o tema da morte, dos cuidados paliativos e a história de uma mulher como a Ângela ir além com esse reconhecimento internacional e atingir mais pessoas. É urgente rever o tratamento que estamos dando aos nosso entes queridos e que queremos no fim da vida”, conta Joana.

“Fiquei sem palavras quando recebi a notícia. Ser finalista desse prêmio é reviver mais uma vez tudo que vivemos com a Ângela. É uma matéria muito especial pra gente e tudo isso vai pra ela, essa pessoa incrível que mudou muitas coisas na nossa vida”, afirma a fotógrafa Fernanda Carvalho.

Continua após a publicidade

No site do prêmio, os jurados da categoria internet fizeram considerações sobre a reportagem: “Trata-se de uma descrição importante dos avanços nos cuidados paliativos e se destaca por utilizar uma variedade de recursos, como múltiplas fontes, documentos e material visual. Atrai por seu layout interativo e não se centra somente nos testemunhos individuais, pois também mostra uma visão geral de um problema cada vez mais importante na saúde pública: como tratar o final da vida”, diz.

Para produzir esse caderno especial, a reportagem acompanhou os derradeiros 203 dias de Ângela, um registro profundo de vida e morte narrado em oito páginas e um vídeo de 15 minutos. Ângela Batista, 55, viveu seus últimos nove meses sendo acolhida por uma equipe de Cuidados Paliativos, que lhe permitiu um fim digno mesmo diagnosticada com um câncer incurável. Quando não há cura, ainda há muito o que cuidar. 

PREMIAÇÃO

A reportagem vai concorrer outros dois trabalhos: ‘Órfãos  da Saúde’, de autoria de David González (Venezuela), publicado em Ipys Venezuelae El Pitazo, e ‘As crianças chupadoras de Paraguaipoa’, de Hugo Mario Cárdenas López (Colômbia), publicado em El País.

O Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde é uma iniciativa da Roche América Latina que busca valorizar a excelência e fomentar o trabalho jornalístico de qualidade na cobertura a temas de saúde na região. Desde a sua primeira edição, em 2013, o prêmio recebeu 1.880 inscrições.

Recorde a reportagem completa aqui.


Comments are closed.