A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) já deixou 82 mortos em Minas Gerais em 2018.

Destes óbitos, 11 foram confirmados para o vírus Influenza, sendo dez decorrentes do subtipo A e uma do subtipo B, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (5) pela Secretaria de Estado de Saúde.

Segundo o órgão, até o momento, foram notificados 1003 casos de SRAG, sendo 579 (57,7%) com amostra coletada e processada. Dos casos com amostras processadas, 14,0% (81/579) foram classificados como SRAG por Influenza e 15,0% (87/579) como outros vírus respiratórios.

Continua após a publicidade

As mortes por influenza foram registradas foram registradas em Belo Horizonte (H1N1); Coronel Fabriciano, Diogo de Vasconcelos, Paraguaçu e Vespasiano (A/H3); Cataguases, Ubá, Uberlândia e Leopoldina (A) e Visconde do Rio Branco (B).

Influenza

A Influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

Os vírus Influenza são os mais frequentemente identificados nos casos de Síndrome Gripal (SG) e também nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), mas a infecção pela doença pode causar sintomas que se confundem com os encontrados em diversas outras infecções virais e bacterianas.


Comments are closed.