O Partido Popular Socialista (PPS) anunciou na manhã desta quarta-feira (6) o apoio à candidatura de Antônio Anastasia (PSDB) ao governo de Minas Gerais. O anúncio foi feito na sede do partido, na região central de Belo Horizonte
 
O partido, que chegou a conversar com outros pré-candidatos ao Palácio da Liberdade, como Rodrigo Pacheco (DEM), Márcio Lacerda (PSB) e João Batista Mares Guia (Rede), decidiu apoiar o tucano por entender que ele seria o nome que traria mais inovação e segurança para reverter o atual cenário político em Minas. O presidente do PPS mineiro, Raimundo Benoni, disse que a decisão foi tomada depois de várias reuniões com o coletivo partidário e de conversas com os pré-candidatos.

“Entendendo os desafios que se apresentam para Minas, o partido entende que será necessário para superá-los: experiência, compromisso social, responsabilidade econômica, sensibilidade social e modernidade na atuação. E a pessoa que melhor se encontra na avaliação do PPS é o senador Anastia, que trabalha com muita tranquilidade dentro de temas com a postura ética, transparante, aberto ao diálogo e compromissado com Minas Gerais”, disse Benoni.

Na coletiva convocada pelo partido socialista desta quarta-feira foram notadas as ausências do deputado estadual Fabiano Tolentino e da suplente de deputado federal Luzia Ferreira. Ambos os parlamentares têm uma ligação estreita com o pré-candidato Márcio Lacerda.

Continua após a publicidade

Para apoiar a chapa de Anastasia, o PPS não apresentou contrapartidas. “A boa política não é a construção de colocar condições. A relação é de boa política. Precisamos unir todos os homens de bem de Minas Gerais para que Minas retome seu estado de protagonismo”, disse o presidente da sigla no Estado.

Com a junção da sigla socialista, Anastasia já conta com o apoio de quatro partidos na pré-campanha. O PPS se uniu ao Partido Social Cristão (PSC), Partido Social Democrático (PSD) e Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). O partido cristão, inclusive, deve indicar ao cargo de vice-governador o deputado Marcos Montes. 

Estiveram presentes na reunião o ex-governador Alberto Pinto Coelho, que se colocou à disposição do partido para qualquer disputa em outubro, além do deputado estadual Antônio Jorge, que confirmou que disputará a reeleição visando manter a vaga na Assembleia.

Presidência

O diretório estadual do PPS disse que o partido começou as conversas para saber quem apoiará nas eleições para presidente em 2018. Apesar de não ter nada acertado ainda em âmbito nacional, o diretório paulista já indicou um apoio ao tucano Geraldo Alckmin na disputa ao Planalto.

Entre os candidatos “descartados” pelo PPS estão os que defendem os extremos, como o caso do deputado Jair Bolsonaro (PSL), nem da extrema esquerda, de acordo com Benoni.


Comments are closed.