Oito horas após invadirem o Palácio da Liberdade, servidores militares desocuparam o local na noite desta quarta-feira (6) em cumprimento a uma ordem judicial de reintegração de posse.

Mais cedo, os manifestantes se organizavam para passar a noite no local, mas uma ação proposta pela Advocacia Geral do Estado (AGE) pediu a desocupação do local sob pena de R$ 50 mil por hora de descumprimento da medida.

Procurado, o deputado Sargento Rodrigues (PDT), apontado como uma das lideranças do movimento, chegou a dizer que não iria desocupar o Palácio da Liberdade. Pouco depois, em discurso junto aos manifestantes, o parlamentar disse que, quando fosse recebida, a ordem judicial seria cumprida.

Continua após a publicidade

Os servidores protestavam por uma série de melhorias, entre elas reajuste salarial e pagamento até o quinto dia útil do mês. Nesta tarde, o Palácio foi evacuado e os servidores que estavam trabalhando foram dispensados.


Comments are closed.