Um dos envolvidos no incêndio de seis ônibus na noite de domingo (3) em Guaxupé, no Sul de Minas, foi preso na noite seguinte quando se preparava para atacar novamente. O suspeito, de 18 anos, estava acompanhado de dois adolescentes de 15 e 16 anos, com um galão de gasolina, isqueiros e bombas juninas. 

Fotos do momento do incêndio mostram o adulto no meio dos curiosos, observando o estrago que havia feito, com a mesma roupa que ele usava na noite seguinte, quando foi preso com os menores.

De acordo com o comandante da Polícia Militar (PM) de Guaxupé, major Afrânio Tadeu Garcia, adolescentes  da região  estariam sendo ameaçados ou aliciados para cometer os atos infracionais  e a Polícia Civil investiga possível envolvimento de facção criminosa. “Os três estavam indo em direção a outra garagem de ônibus com o galão de gasolina. Eles residem do outro lado da cidade e nada justifica a presença deles naquele local”, disse o major.

Continua após a publicidade

O adulto, segundo o militar,  tem passagens pela polícia por crimes de menor gravidade. O delegado de Guaxupé, Gabriel Belchior,  informou que ainda não há suspeito de ser o mandante do ataque. “Tudo indica que há envolvimento de organização criminosa “, declarou.

Prejuízo

O dono da Empresa de Transporte Urbano de Guaxupé  (Tuga), Eduardo Nasser, disse que dos seis ônibus queimados, quatro eram escolares e dois de linha urbana. O prejuízo chega a R $ 700 mil, segundo ele, que presta serviços à prefeitura local.

Os ônibus foram incendiados no estacionamento da Empresa Municipal de Transporte, no domingo à noite. Os veículos estavam muito próximos um do outro e o fogo se alastrou rapidamente. Cinco ônibus foram salvos.

Eduardo ianda disse que buscou veículos da sua empresa em outras cidades para substituir os queimados. “O transporte público e o escolar de Guaxupé não foram afetados” , informou. 


Comments are closed.