Menino tinha dançado quadrilha um dia antes do fato

Na tarde deste domingo (10), o pequeno Lucas de Paula Silva, de 4 anos, dançou sua primeira quadrilha. Empolgado, ele passou pelo comércio das ruas da cidade de Bichinho, no Campo das Vertentes, para mostrar sua camisa xadrez e o sapato novo. No dia seguinte, nesta segunda-feira (11), uma tragédia interrompeu a vida do menino. “Luquinha”, como era carinhosamente conhecido na cidade, morreu após ser atacado por um cão da raça rottweiler.

De acordo com a Polícia Militar, o menino estava no quintal de uma casa com um tio quando o cachorro soltou da coleira e atacou a criança com mordidas e o estrangulou. Ainda segundo a polícia a mulher do dono do cachorro, junto com vizinhos tentaram segurar o animal.

“Ele soltou da coleira e foi direto em cima do Lucas. O pessoal tentou segurar ele, mas não conseguiu.  É um cachorro muito grande, mas o Lucas tinha costume de acompanhar o tio dele no quintal onde o cachorro ficava preso”, contou um primo da vítima, Jonattha Roger da Silva, de 24 anos.

Continua após a publicidade

A criança chegou a ser socorrida por populares para a Santa Casa de Misericórdia de Prados, na mesma região, onde chegou com ferimentos em todo o corpo. Ele acabou não resistindo aos ferimentos e morreu. A polícia foi acionada pelo próprio hospital.

Menino era bastante amável

O menino era muito conhecido na cidade, tanto que o comércio de Bichinho fechou as portas após a morte dele.“Ele era um menino muito alegre, conversava com todo mundo e todos gostavam muito dele aqui na cidade. Foi uma tragédia muito grande”, lamentou o artista plástico e empresário Joubert Cândido Rodrigues, de 56 anos.

Segundo ele, o menino estava acostumado a frequentar as casas da vizinhança e todos gostavam muito dele. Era extremamente amável e ajudava a família a cuidava  de duas cabras que a família tinha. “Da minha casa pude ouvir os gritos de dor e desespero.Quando saí para ver o que era, ele já estava sendo levado para a Santa Casa de Prados, onde veio a óbito”, contou Rodrigues.

O ataque ocorreu por volta de 8h da manhã. Os donos do cachorro ficaram com medo e, segundo moradores da cidade, eles fugiram levando os animais. A Polícia Militar afirmou que, por enquanto, ninguém foi preso.

O corpo do menino foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de São João Del Rey, também no Campo das Vertentes. A ocorrência também foi encaminhada para a Polícia Civil da cidade.

Por meio da assessoria de imprensa, a Polícia Civil informou que diligências preliminares foram realizadas. O pai da criança e o dono do cão e algumas testemunhas serão ouvidas. A perícia foi solicitada e um inquérito aberto.

Família precisou ser medicada

Ao saber sobre a morte do filho, a mãe de Lucas precisou ser medicada com calmantes de tão abalada que ficou. “Esse é o segundo filho que eles perdem. Há um tempo eles também perderam um bebê recém-nascido. Agora eles só ficaram com uma filha”, disse o primo de Lucas. Ele contou que o pai da criança também está arrasado. “Ele tá só pedindo para morrer  também”.

Cachorro já tinha feito outros ataques

O artista plástico Joubert Cândido Rodrigues, de 56 anos, morador da cidade, contou que o cão era bastante agressivo e inclusive já tinha atacado uma outra pessoa na cidade, além de cães, gatos e galinhas. “Esse cachorro tinha histórico de outras agressões. É uma irresponsabilidade dos donos deixarem o cão se soltar e isso acontecer”, considera.

Para a Polícia Militar, os donos do cachorro disseram que o animal era bastante amável e negaram que ele tivesse cometido outros ataques. Eles disseram que ele nunca tinha atacado ninguém e que Lucas jogava pedra no animal. “Nada justifica o cachorro ter matado meu primo. Nós sabemos que essa é uma raça violenta e o cão ainda era de grande porte”, completou Silva.

Fonte: O Tempo


Comments are closed.