A sexta sessão ordinária de junho da Câmara Municipal de Uberlândia aconteceu nesta segunda-feira, 11. Ela foi bastante movimentada por duas razões: a saída da vereadora Michelle Bretas (Avante) da vice-liderança do governo na casa e os gastos destinados para um evento da OAB do município.

Michelle Bretas anunciou sua saída da vice-liderança do governo na Câmara em carta enviada ao prefeito Odelmo Leão na última sexta-feira, 8. No documento, que foi lido na bancada da Câmara durante a sessão, a vereadora disse que optou por deixar o posto pelo fato da atual gestão se posicionar de forma contrária a alguns de seus ideais.

Especula-se que a vereadora tomou a decisão após o executivo ter entregado o projeto Castra Móvel apenas com a presença da emenda do deputado federal Wellington Prado, sem constar o seu o nome. Bretas seria a principal idealizadora da ação e já tentava implantá-la na cidade há algum tempo.

Continua após a publicidade

Em entrevista para o programa Chumbo Grosso 2ª Edição, o vereador Antônio Carrijo (PSDB), líder do governo na Câmara, explicou que o projeto seria uma emenda parlamentar de autoria exclusiva do deputado Wellington Prado e que os recursos necessários para a implantação do Castra Móvel seriam bancados exclusivamente pela prefeitura, sem a participação de qualquer vereador. E credita a saída de Bretas por conta das eleições que acontecem em outubro.

Já o vereador Thiago Fernandes (PRP) se solidarizou com a colega e reclamou da postura da Prefeitura de Uberlândia com relação a projetos feitos pelos vereadores da casa.

“Muitas das vezes, quando os vereadores dessa casa apresentam projetos, são cerceados pelo executivo, que muitas vezes pede vista desses projetos e depois (os) apresentam como se fosse autoria do prefeito”, disse.

Dinheiro para evento

O outro assunto que movimentou a Câmara nesta segunda-feira foi uma emenda do executivo a respeito de 100 mil reais que seriam utilizados para um simpósio da OAB de Uberlândia. Carrijo justificou a medida como forma de estimular a presença de eventos de grande porte em Uberlândia, por ser uma cidade pólo na região.

Já Thiago Fernandes se mostrou contrário à realização do evento. “Defendo a OAB, por que sei da seriedade dessa instituição, mas o momento que vivemos na cidade de Uberlândia é muito delicado. Não podemos entender que para um único simpósio, de um dia, possa ser destinado 100 mil reais. Isso daria pra comprar muito remédio, que ta faltando na rede”, disse o vereador, que também se mostrou contrário a recente aquisição de televisores por parte da Câmara Municipal.

Informações: Rodrigo Silva


Comments are closed.