Advogado se defende de acusação de ameça durante briga por terreno

Um dia depois de ter sido acusado de ameaçar com uma arma um empresário por causa de uma briga pela propriedade de um terreno, o advogado Marcos Wagner Figueiredo afirmou que apenas reagiu a uma agressão que teria sofrido.

O caso foi parar na polícia depois que o advogado foi ao terreno em Contagem, na região metropolitana – o qual alega ser dono – com outras seis pessoas para retirar a cerca instalada pelo empresário Vilson Ferreira, que também alega ser o proprietário do local. A Polícia Militar foi acionada, e os envolvidos prestaram depoimento na delegacia. A ameaça teria acontecido quando eles deixaram a unidade policial.

Figueiredo é acusado  pelo empresário de ter voltado ao terreno e sacado uma arma durante a discussão com a mulher do empresário. O advogado, que é membro da comissão imobiliária da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), diz que voltou ao local para buscar seu veículo e materiais de construção que haviam ficado no local. “Fui agredido com palavras de baixo calão por um rapaz e por uma senhora, quem creio ser a mulher do senhor Vilson”, disse Figueiredo, que procurou a reportagem.

O advogado alegou que, em nenhum momento, começou as agressões e que “fez uso dos meios necessários e de força moderada para repelir a injusta agressão”. Perguntado se estava armado quando foi ao terreno, o advogado disse que as informações necessárias já haviam sido passadas à reportagem.

Outro lado

A família do empresário Vilson Ferreira foi procurada na noite desta quinta-feira e disse que uma audiência sobre o caso já foi marcada pela Justiça, porém a data não foi informada.O empresário e seus parentes disseram que preferem não comentar mais sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vídeo mostra momento exato de engavetamento entre 12 veículos na BR-381 em Betim

Expocap tem público record com show de Eduardo Costa