Uma mulher de 35 anos foi brutalmente assassinada pelo marido a golpes de facão em Lavras, no Sul de Minas. Segundo a Polícia Militar (PM), o suspeito, Reginaldo do Carmo de Jesus Silva, de 38 anos, descobriu que teria sido traído pela mulher e cometeu o crime, na madrugada dessa quarta-feira (13). Antes de fugir, ele ainda se despediu dos vizinhos dizendo que nunca mais iria voltar, mas sem falar o motivo.

O corpo de Regina Mansur da Silva foi encontrado horas depois pelo filho do casal, de 10 anos, que ficou em estado de choque. Silva foi preso na casa de parentes, em Lavras, quando tinha acabado de tomar uma grande quantidade de veneno para matar rato. Ele foi hospitalizado, sob escolta policial, e o estado de saúde dele é grave, segundo a Polícia Civil.

O crime foi descoberto no final da tarde de quarta-feira. Policiais militares foram chamados à rua Gil de Souza Andrade, no bairro Jardim Bela Vista, onde conversaram com um irmão do suspeito. Essa testemunha, que tem 33 anos, contou que Silva esteve na casa dele por volta das 2h de quarta-feira para deixar os filhos.

Continua após a publicidade

O irmão do autor contou que, cerca de 12 horas depois, por volta das 14h, como Silva não voltou para buscar os filhos, ele foi levar as crianças até a casa delas.

O menino de 10 anos entrou primeiro na residência e encontrou a mãe ensanguentada na cama. Os PMs constaram que ela já estava morta e que o corpo apresentava rigidez.

A perícia foi acionada e constatou que Regina sofreu diversos golpes com um instrumento cortante, provavelmente um facão que foi encontrado na sala.

Suposta traição

A PM apurou que, na noite anterior, o suspeito teria ficado sabendo de um relacionamento extraconjugal da companheira. “Após brigar com o suposto envolvido (amante da mulher), o autor teria se dirigido até à residência onde morava com a vítima. Ainda segundo informações, o suspeito teria sido visto na rua se despedindo de diversas pessoas afirmando que não mais seria visto, contudo ninguém desconfiava do que teria ocorrido”, consta no relatório da PM de Lavras.

Investigação

A delegada de Lavras, Ana Paula Santana de Rezende, esteve no hospital onde Reginaldo está internado e disse que acredita que o preso irá sobreviver. Segundo ela, se os investigadores não o tivessem localizado a tempo de socorrê-lo, ele teria morrido. Ana Paula pretende interrogá-lo assim que ele sair do hospital, pois o homem ainda não tem condições de falar.

O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Lavras e foi sepultado na tarde desta quinta-feira no cemitério local.

Se sobreviver, Reginaldo Silva poderá pegar de 12 a 30 anos de prisão por homicídio. A delegada responsável pelo caso, Ana Paula, só vai dar mais detalhes sobre o caso nesta sexta-feira.


Comments are closed.