Uma equipe do 3º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA III), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), está a caminho da área rural de Espírito Santo do Dourado, na região Sul de Minas, onde um helicóptero caiu na noite desse sábado (16), matando duas pessoas. Morreram o diretor-executivo do grupo de mineração Bauminas, Márcio Bissoli, e o piloto da aeronave, Luiz Gustavo Araújo Soares.

Os investigadores vão coletar dados, fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos.

A Regional Pouso Alegre da Polícia Civil também vai investigar o acidente, mas, por enquanto, segundo informou a corporação, o caso ainda está com o Corpo de Bombeiros e o Cenipa.

Continua após a publicidade

O helicóptero, que pertence ao grupo Bauminas, havia decolado de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, com destino ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

A aeronave caiu às margens da MG-179, a cerca de 35 quilômetros de Pouso Alegre, em um local de difícil acesso, bateu em uma área de barranco, explodiu e depois pegou fogo. As chamas se alastraram pela vegetação. Os destroços estão espalhados por uma área de 250 metros.

Cenipa abriu investigação para apurar o acidente

De acordo com a tenente Michele Santos, uma equipe está se deslocando de carro de São Paulo para o Sul de Minas, devendo chegar ao local do acidente nas próximas horas. Investigação preliminar já está sendo feita, segundo ela.

No último contato do piloto foi informado problemas mecânicos e dificuldade de pouso. Ele não chegou a acionar o código de emergência porque, logo que declarou a situação, reportou que estava caindo e desapareceu do radar, segundo informação recebida pelo supervisor da região de São Paulo.

O helicóptero inicialmente era ocupado por quatro pessoas, conforme o plano de voo, mas duas delas teriam desembarcado antes. No entanto, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros, a mulher do piloto, Juliana Hipólito, afirmou que teve acesso às câmeras de segurança do heliponto de Nova Lima e as imagens mostraram apenas duas pessoas embarcando – o empresário Márcio Bissoli, e o piloto da aeronave, Luiz Gustavo Araújo Soares.

Empresário

O empresário Márcio Bissoli era dono de 18 empresas, sendo 16 delas em Minas Gerais. Um dos empreendimentos era o Marplan, responsável por condomínios de altíssimo luxo. Ele também tinha investimentos em São Paulo e na Bahia. Márcio Bissoli também era diretor-executivo do grupo de mineração Bauminas.

Aeronave

O helicóptero, um modelo A1095, tem capacidade para sete passageiros e foi fabricado pela Agusta A109 em 2010.


Comments are closed.