A Prefeitura de Uberlândia terá de devolver o total de 1,9 milhão de reais para o Governo Federal. A decisão foi publicada em edição do Diário Oficial da União da última semana. O motivo é que o dinheiro foi repassado para a construção de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que não foi entregue no prazo previsto.

No caso, se trata de UPA Cidade Verde, que fica no Bairro Mansour. A obra teve início em 2014, só que mal passou dos estágios iniciais de construção. Esse 1,9 milhão de reais que a prefeitura terá de devolver ao Governo Federal é parte de um montante total de 2,6 milhões, que seriam repassados para a conclusão da obra.

Continua após a publicidade

A população que mora no entorno do local afirma que a UPA faz falta, já que muitos precisam se deslocar até a UAI do Bairro Luizote para conseguir atendimento, além de demonstrar revolta com a situação da unidade de atendimento.

UPAs dos Bairros Pacaembu e Novo Mundo passam por situação semelhante

Em nota, a Prefeitura de Uberlândia afirmou que esse recurso seria insuficiente para a conclusão das obras da UPA Cidade Verde, bem como as unidades dos Bairros Pacaembu e Novo Mundo.

Ainda de acordo com a nota enviada, a prefeitura alega que a UPA Pacaembu apresenta um total de 25 irregularidades consideradas críticas, como a falta de um projeto de blindagem para o equipamento de Raios-X e a ausência de um tanque de oxigênio líquido. E elas só poderiam ser sanadas com um investimento extra de 3,5 milhões de reais.

As obras começaram em 2013 e deveriam ter sido concluídas em setembro de 2014. No momento, a prefeitura apenas paga um vigia para tomar conta do local. Os equipamentos que já estavam na UPA foram retirados da unidade.

A situação não é diferente na UPA do Bairro Novo Mundo. A obra teve início em setembro de 2013, mas está abandonada desde agosto de 2016 e apresenta problemas na parte elétrica, de acordo com a prefeitura. Já teriam sido gastos quatro milhões de reais com a construção da unidade.

Informações: Camila Rabelo


Comments are closed.