Em até 15 dias, três aplicativos de smartphones e tablets serão lançados na capital mineira destinados ao serviço de compra de créditos online para o uso do estacionamento rotativo. De acordo com a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), faltam poucos detalhes para que o sistema entre em funcionamento. Os apps serão apresentados para a população em uma coletiva de imprensa – em data ainda não definida.

Um dos aplicativos foi desenvolvido pela própria prefeitura, por meio da Empresa de Informática e Informação de Belo Horizonte (Prodabel), e os outros dois por companhias que participaram de uma licitação. A diferença entre os apps está apenas na interface ao usuário. O serviço disponibilizado, bem como o preço será o mesmo. Por enquanto a BHTrans não informa qualquer alteração no valor já praticado de R$ 4,40 por Faixa Azul.

Segundo a BHTrans, os folhetos serão substituídos por créditos digitais gradativamente, sem um prazo determinado para a extinção do antigo sistema. No entanto, uma fonte envolvida com a implementação do projeto garantiu à reportagem de O TEMPO que até outubro não serão mais encontrados os talões na cidade.

Continua após a publicidade

Além dos aparelhos eletrônicos, os motoristas também terão a opção de adquirir créditos para o sistema online nas bancas de jornais e revistas, como já é feito hojecom os folhetos. O advogado do Sindicato dos Vendedores de Jornais e Revistas do Estado de Minas Gerais (Sinvejor), Albert José Patrocínio, explica que cada jornaleiro vai assinar um contrato com uma empresa de um dos aplicativos para disponibilizar o serviço.

Inicialmente, os jornaleiros receberão um treinamento e cada banca terá um smartphone em comodato com a empresa para vender os créditos aos motoristas. O preço não sofrerá alteração nessa modalidade de compra, com a diferença de que o serviço poderá ser contratado em dinheiro. No app, o pagamento é por cartão de débito ou crédito. A proposta de venda nas bancas tem o objetivo de atender às pessoas que não possuem um celular ou tablet, que não estão familiarizadas com a tecnologia ou que cujos aparelhos estejam descarregados.

“Há anos as bancas de jornais e revistas são pontos de referência para a população para a compra de folhetos de rotativo. Mas com o lançamento do Faixa Azul Digital, algumas pessoas terão dificuldades, seja pela falta de internet ou do próprio celular. Tem também o aspecto do pagamento pelo smartphone com cartão de crédito e débito, que nem todos usam. Então as bancas vão continuar com essa atividade justamente para facilitar a vidas das pessoas”, ressalta o advogado.

Conforme o sindicato, Belo Horizonte tem hoje 730 bancas espalhadas pelas nove regionais, sendo que aproximadamente 400 comercializam talões de Faixa Azul. A maioria dos pontos está na região Centro-Sul da capital, onde estão concentradas as vagas de estacionamento. Todas elas devem aderir ao sistema de venda digital.

Na manhã desta quinta-feira (21), a prefeitura deu um passo importante para a implementação do projeto. Foi publicado um decreto no Diário Oficial do Município (DOM), que regulamenta o estacionamento rotativo digital. O sistema será mantido e fiscalizado pela BHTrans. Além disso, a Polícia Militar (PM) e a Guarda Municipal continuarão responsáveis pela aplicação de multas ao motoristas que estacionarem nas vagas de forma irregular – sem o folheto ou crédito ativado no aplicativo.

Procurada, a assessoria da BHTrans disse que só vai divulgar os detalhes do funcionamento dos aplicativos na coletiva de imprensa que acontecerá em até 15 dias. Entretanto, a empresa enviou à reportagem um documento, que foi disponibilizado aos desenvolvedores dos apps, com algumas informações do projeto. Veja abaixo o que sabemos sobre o serviço.

Rotativo em BH

O estacionamento rotativo em Belo Horizonte funciona das 8h às 18h nos dias úteis, e das 8h às 13h aos sábados. Segundo a BHTrans, a cidade tem 22.236 vagas físicas, o que corresponde a 103.439 vagas rotativas. O tempo de permanência regulamentado é variável dependendo do local, podendo ser de uma hora, duas horas ou cinco horas. A região da Pampulha, especificamente, tem vagas com tempo limite de 12 horas.

O que se sabe:

Onde baixar

Na data de lançamento do serviço, o motorista vai poder baixar nas lojas App Store (iOS) e Google Play (Android) três aplicativos diferentes para o uso do estacionamento rotativo.

Cadastro

O app vai possibilitar a cada usuário o cadastro, exclusão e alteração de ilimitadas placas de veículos.

Preço

Cada crédito adquirido pelo app será chamado de Faixa Azul Digital (FAD) e custará, num primeiro momento, R$ 4,40. Cada FAD dará um bônus de 30 minutos.

Pagamento

Por meio de cartão de crédito ou débito que deve ser cadastrado no app.

Ativação

Ao estacionar em uma vaga, o motorista deve acionar um crédito (FAD) no aplicativo. O tempo de permanência será o indicado na placa de sinalização.

Tempo

O aplicativo vai informar o tempo decorrido e o tempo restante e emitirá um alerta (por meio de mensagens, alarme sonoro e/ou vibratório) quando o período permitido estiver terminando.

Multas

Guardas municipais e policiais militares terão um aplicativo de fiscalização. Bastará digitar a placa de determinado veículo para saber se há crédito ativado. Caso contrário, será registrada a multa.

Segurança digital

O sistema será validado pela tecnologia Blockchain – a mesma utilizada pelas criptomoedas como o Bitcoin.

Dúvidas e reclamações

Por meio de atendimento telefônico e SMS, os aplicativos devem fornecer informações e tirar dúvidas sobre o serviço.

O que ainda não se sabe:

Como o aplicativo vai identificar o local onde o veículo está estacionado (se é uma área com permissão para uma hora, ou cinco horas, por exemplo)?

Caso o aplicativo seja acionado por engano (por uma criança, por exemplo), será possível desfazer a ativação do crédito?

O motorista poderá renovar o crédito para uma mesma vaga pelo aplicativo?

Haverá intervalo de tempo entre a utilização de um crédito e a ativação de outro? Ou seja, se o motorista utiliza um crédito para uma vaga de uma hora na região da Savassi, por exemplo, e depois precisar de outra vaga na região central, ele poderá fazer a ativação de novo crédito?

Como será feito o pagamento via boleto bancário? Haverá um prazo para o pagamento?


Comments are closed.