Mais um ônibus foi incendiado em Belo Horizonte na noite desta terça-feira (27). O ataque aconteceu por volta das 20h no bairro Céu Azul, na região de Venda Nova.

Segundo a Polícia Militar (PM), um ônibus da linha 615, que liga o bairro até a Estação Pampulha do Move, ficou destruído após um bando de, pelo menos, oito homens encapuzados atacarem o ônibus.

Em depoimento, o motorista do coletivo disse que um homem fez sinal de parada na rua Radialista Mário Batista, na altura do número 88. Quando o ônibus parou, outras sete pessoas cercaram o veículo e obrigaram que todos os passageiros e o condutor do coletivo saíssem do veículo.

Continua após a publicidade

Logo após, o bando espalhou gasolina na parte de trás do ônibus e iniciou o incêndio, Após o ataque, os suspeitos fugiram em direção ao aglomerado Mãe dos Pobres, que fica nas imediações de onde o incêndio aconteceu.

A polícia via usar imagens de câmeras de monitoramento do coletivo, que são armazenadas pela empresa proprietária do ônibus, para tentar identificar os criminosos. 

De acordo com o major Warley Almeida, comandante da 15ª Companhia do 49º Batalhão da PM, a ação criminosa ocorrida no Céu Azul, na noite desta terça-feira, tem ligação com o incêndio a um coletivo da linha 640 que foi destruído no bairro Jardim Leblon, na região de Venda Nova, na manhã de ontem.

A motivação para os ataques, de acordo com a polícia, seriam as operações realizadas pela PM no combate ao tráfico de drogas no aglomerado Mãe dos Pobres, que fica no bairro Piratininga, também na região de Venda Nova. Nenhuma pessoa foi presa até o momento pelos ataques.

Nesta terça-feira a polícia apreendeu, no fim da noite desta terça, quatro revólveres (três calibres 32 e um calibre 22), munições para revólveres calibre 32 e pistola calibre 357 e aproximadamente 1,5 kg de maconha em porções, que segundo a PM, estavam prontas para serem vendidas. O material foi encontrado em um barracão abandonado no beco São Luiz, no aglomerado Mãe dos Pobres.

Os militares também encontraram no imóvel um galão que seria usado pelos traficantes do aglomerado para transportar gasolina que teria sido usado nos ataques aos ônibus ocorridos nos bairros Jardim Leblon e Céu Azul ontem.

Uma balança de precisão foi encontrada no local, que segundo a PM, seria usado como uma espécie de depósito de armas e drogas pelos criminosos. 

Balanço

Segundo a Polícia Militar, 60 ônibus foram destruídos por incêndios criminosos entre os dias 3 e 20 de junho, em 70 ataques realizados em 41 cidades de Minas Gerais. Foram presas 90 pessoas e 26 menores foram apreendidos pela polícia suspeitos de participarem dos ataques.   

Reunião

Uma reunião, marcada para 11 da manhã de hoje, entre o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, representantes do SetraBH, do Gabinete Militar do Estado, Guarda Municipal e BHTrans vai discutir os sucessivos ataques a coletivos ocorridos em Minas Gerais, O encontro vai acontecer na Prefeitura de Belo Horizonte.

No dia 8 de junho, o SetraBH informou, através de nota, que paralisaria os serviços do sistema de transporte coletivo em Belo Horizonte das 21 horas às 4 da manhã, caso algum outro ônibus de empresas ligadas ao sindicato fossem incendiados.

Na nota, o SetraBH informa ainda que as empresas operadoras do sistema de transporte coletivo da capital não tem condições financeiras para repor os coletivos destruídos e que o preço de um ônibus novo, que circula pelas ruas de Belo Horizonte, é de aproximadamente R$ 400 mil.


Comments are closed.