Cerca de 400 pessoas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam uma fazenda que pertence a empresa MMX, do empresário Eike Batista, em Igarapé, na região Metropolitana de Belo Horizonte.

“É na prática da ocupação que demonstramos nosso compromisso com a resistência contra o golpe, com a luta pela terra e contra as elites que entregam nossos bens naturais de presente ao capital internacional”, explica Mirinha Muniz, integrante da direção estadual do MST.

“Aqui temos o exemplo dos danos causados por essa empresa falida: a mineração ao lado da água, degradando o meio ambiente, enquanto a terra que poderia ser produtiva está abandonada”, declara Mirinha.

Continua após a publicidade

MST

De acordo com a organização, esse ato faz parte da campanha “30 anos de MST em Minas Gerais, semeando e alimentando a ousadia”.

O MST em Minas Gerais possui 42 assentamentos, 4 cooperativas de produção e comercialização, 41 acampamentos e três mil famílias acampadas.

“Nossa trajetória é vitoriosa. Diante da conjuntura conturbada que vivemos no país, achamos que este é o momento de resgatar as nossas memórias, entender o passado para apontar os nossos próximos passos. E não temos dúvida de que nosso futuro é de luta”, afirma Wagner Vieira, integrante da direção estadual do MST.


Comments are closed.